• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Entenda porque o Japão voltou a permitir a caça das baleias

POR Cristyele Oliveira    EM Curiosidades      04/07/19 às 15h05

Depois de mais de 30 anos limitando a caça comercial às baleias, o Japão retornou à atividade baleeira. Nesse período, a caça de baleias era somente para fins "científicos". Tal política apesar de tentar restringir, ainda assim resulta na morte de centenas de baleia todos os anos. Agora, a nova lei, que permite o abate comercial de baleias, já começou a valer desde o dia 1° desse mês.

A medida de sair da moratória da Comissão Internacional da Baleia (IWC), a qual o Japão fazia parte desde 1988, foi devido à grande pressão da indústria baleeira do país sobre o governo. Eles alegam que a caça às baleias e a carne do animal fazem parte da cultura japonesa. No entanto, embora a permissão permita a caça comercial das baleias, a nova medida estipula algumas regras. Uma delas permite um número limitado de animais abatidos por ano.

Caça comercial

Agora é oficial, o Japão retornou à atividade baleeira comercial no país. Depois de 30 anos limitando a caça somente para fins científicos, agora o país se junta à Islândia e à Noruega como os únicos países que permitem a caça comercial de baleias.

No final do ano passado, o governo japonês anunciou que acabaria com a suspensão da caça às baleias da Comissão Internacional da Baleia. A moratória teve início em 1985, como uma forma de proporcionar às baleias em risco uma chance para se recuperar. E em 1988, o Japão aderiu ao pacto.

Durante mais de 30 anos, o país permitiu caçar baleias apenas para estudos. No entanto, o pacto não teve muito efeito para conter a caça comercial no país. De 1985 a 2017, estima-se que os navios japoneses matam mais de 17 mil baleias. Os animais, que eram usados para estudos científicos, tinham a sua carne vendida em lojas e restaurantes depois do fim das pesquisas.

No entanto, a nova medida inclui regras. Por exemplo, a caça será limitada ao mar territorial e à zona econômica exclusiva do Japão. Esse espaço abrange cerca de 200 milhãs náuticas, o equivalente a 370 quilômetros das costas do país. Enquanto nas águas antárticas a caça será proibida.

A medida

Outra regra importante, nessa mudança no pacto da captura e abate de baleias, é a cota de caça estabelecida pela Agência de Pesca Japonesa. Para o ano de 2019, foi permitida a caça de 227 baleias. Em comparação à atividades de caças em anos passados, esse número é até seguro. Em 2017, por exemplo, os navios baleeiros japoneses capturaram 333 baleias-anãs apenas na Antártica, sendo que destas, 122 delas estavam grávidas. No entanto, essas caças ocorreram em nome da ciência.

Sachiko Sakai é motorista de táxi e trabalha na cidade portuária de Kushiro. Na cidade, vários navios baleeiros saem do porto rumo às caçadas. O motorista se posicionou sobre o assunto. Ele afirma que a carne de baleia é uma parte importante da cultura alimentar japonesa. "O mundo se opõe a matar baleias, mas você pode dizer a mesma coisa sobre muitos dos animais criados em terra e mortos por comida", disse Sakai.

A saída do Japão do acordo de moratória da IWC foi muito influenciada por anos de pressão da indústria baleeira do país.

Próxima Matéria
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+