• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Escritor da DC explica porque precisamos de histórias sombrias

POR Gabi Noronha    EM Notícias      05/11/19 às 12h45

A DC não tem fama de ser sombria apenas no cinema. Nos quadrinhos, a editora inovou as histórias de super-heróis ao permitir que seus escritores desenvolvessem roteiros mais maduros. Ainda na década de 1980, ela criou a Vertigo, um selo especial para abrigar apenas enredos com temas mais adultos e violência gráfica. Por meio dele, diversas histórias ganharam vida e marcaram a cenário da nona arte. Em paralelo, embora a linha editorial regular fosse bem mais branda, a editora não deixou de colocar traços mais fortes aqui e ali. Portanto, de forma geral, a DC Comics conseguiu equilibrar suas edições.

Em contrapartida, a Marvel, sua maior concorrente comercial, ficou conhecida por ter histórias mais otimistas, simplistas e leves. Tanto que a editora foi permitir histórias para maiores de idade apenas no começo dos anos 2000. Durante uma entrevista na Nova York Comic Con, o roteirista Joshua Williamson comentou sobre a importância de sempre haver histórias mais sombrias. Atualmente, Williamson comanda a série Batman/Superman, onde a dupla precisa lidar com versões deturpadas de seus amigos. De acordo com o artista, a melhor forma de mostrar a luz que existe nos heróis e colocá-los na escuridão.

"Digamos que eu lhe entregue uma lanterna. Se você sair em plena luz do dia e liga-la você saberá que ela está ligada porque você a ligou. Mas não há necessidade. Você não pode ver, certo?! Onde você acenderia a lanterna? Acenderia no escuro. Eu queria mostrar que o melhor jeito de revelar a luz que os heróis possuem - o quanto eles brilham, o quanto são símbolos de bondade e esperança - o único jeito seria coloca-los no escuro. Nós estamos mostrando a escuridão para que você possa ver o brilho neles", explicou Willimson.

Histórias sombrias no cinema

Interessante notar como a Marvel Studios e a Warner Bros./DC levaram as maiores características de seus respectivos quadrinhos, para o cinema. Enquanto a primeira brilha de longe, a segunda foi amplamente criticada com o lançamento de Batman vs Superman: A Origem da Justiça. Desde então, a Warner se assustou um pouco e tentou seguir o padrão da concorrente. No entanto, sem nenhum planejamento, as coisas desandaram ainda mais. Com tempo, porém, a casa foi arrumada e o trem voltou aos trilhos. A Marvel continua com a mesma estratégia de sempre, afinal, não tem do que reclamar.

A Warner, ao menos por enquanto, mostrou que consegue aprender com os erros. Se voltou mais para os quadrinhos e para o que a Casa das Lendas realmente significa. Mulher Maravilha, Aquaman, Shazam! e Coringa são filmes distintos entre si e a prova de que, assim como nas páginas, também existe espaço para a luz e a escuridão no cinema. O sucesso desenfreado do Palhaço do Crime nas telonas, certamente, abrirá as portas para mais projetos black label, nas telonas. Como Willimason bem aponta, também precisamos de histórias mais sombrias.

Próxima Matéria
Via   SR  
Gabi Noronha
Resumindo, é basicamente isso! Para mais aventuras Instagram: @gabinoronhaf Para comentários aleatórios e breves análises Twitter: @gabinoronhaf
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+