icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


Essa é a reconstrução mais precisa do Tiranossauro Rex até o momento

POR Bruno Dias EM Curiosidades 16/10/18 às 16h39

capa do post Essa é a reconstrução mais precisa do Tiranossauro Rex até o momento

Os dinossauros estão na nossa imaginação, provavelmente, desde que nós éramos crianças. Mas quem garante que aqueles brinquedos ou mesmo as versões que vemos nos filmes são a maneira exata de como esses animais eram há mais de 60 milhões de anos. Imaginar sua forma requer fósseis detalhados, suposições e uma imaginação criativa.

E com o passar do tempo e da publicação de novas pesquisas, a aparência desses gigantes vai melhorando. E com as pesquisas mais atualizadas a respeito do T-Rex, uma equipe montada por artistas e paleontólogos dizem ter a imagem mais precisa de todos os tempos desse dinossauro.

Essa imagem não se assemelha muito com o que Hollywood nos mostrou em Jurassic Park. A mudança, que pode ser mais chocante, é a ausência das penas. O que alguns especialistas dizem não estar em nenhum lugar no corpo do Tiranossauro Rex.

"[A equipe] trabalhou desde o esqueleto, passou meses acertando os músculos, e os resultados estão agora disponíveis para todo mundo ver", disse o paleobiólogo e principal artista do esqueleto, Scott Hartman. Ele ainda diz que a quantidade de tempo investido e atenção aos detalhes o surpreendeu.

"Como em qualquer reconstrução, há, é claro, alguns detalhes que não podemos conhecer e interpretações concorrentes que são igualmente prováveis. Mas posso dizer honestamente que essa foi a tentativa mais exaustiva de restaurar um animal extinto em que trabalhei", afirma.

Imagem

Quem estava à frente das imagens conceituais era RJ Palmer, que analisou mais de 20 artigos publicados sobre o dinossauro e sua fisionomia. O artigo analisado mais a fundo por ele foi o publicado em 2017, na Biology Letters, que dizia que o animal não poderia ter penas aonde anteriormente foi sugerido que ele tivesse.

É claro que até mesmo essa versão está para debate, mas Palmer e sua equipe acham que tem a melhor representação do T-Rex baseada nas evidências atuais. Na parte de trás do pescoço do dinossauro foram colocadas placas de queratina, o mesmo padrão que os pássaros têm em seu desenvolvimento.

A equipe também colocou tecido extra-oral no queixo para que os dentes ficassem escondidos quando a boca estiver fechada. Isso se baseia nos pequenos buracos que foram encontrados nos ossos do dinossauro, que podem ter sido por onde os nutrientes eram dados a esse tecido.

Nova versão

Essa versão do T-Rex foi feita com muita atenção até na diferenciação das garras. Sendo as patas arredondadas para conseguirem bater no chão e a mãos com garras afiadas para conseguirem fazer variadas coisas.

A pintura gigante do dinossauro, que levou 320 horas para ser feita, segundo Palmer, será exibida no Museu de História Natural e Ciência do México. E no frigir dos ovos, esse trabalho não é totalmente respaldado e é cheio de palpites, mesmo que sejam os mais estudados até agora. Mas ele abre um novo capítulo na história de como vamos ver o T-Rex daqui pra frente.

"Eu tenho que dizer que não há muitos projetos palaeo onde essa atenção é dada à produção de aparências dignas de animais", diz o paleontologista e paleoartista Mark Witton , que também trabalhou como consultor no projeto.


Próxima Matéria
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest