icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Essas são algumas coisas que você, provavelmente, não sabia sobre Amsterdã - A cidade do pecado

POR Júlia Marreto EM Mundo Afora 06/01/17 às 17h11

capa do post Essas são algumas coisas que você, provavelmente, não sabia sobre Amsterdã - A cidade do pecado

Amsterdã (Holanda) é uma das cidades mais emblemáticas seu Bairro Vermelho e a legalidade da Maconha e outras drogas amenas, faz com que a cidade seja conhecida por muita gente como A Cidade do Pecado. Sem dúvida se trata de uma cidade que esconde muitas curiosidades e raridades.

Precisamos lembrar que não temos o intuito de criticar, julgar, muito menos impor verdades absolutas. Nosso objetivo é único e exclusivo de informar e entreter. Por isso, o conteúdo dessa matéria se destina a aqueles que se interessarem e/ou identificarem.

Sendo assim, nós aqui da redação da Fatos Desconhecidos selecionamos uma listinha com algumas coisas que você, provavelmente, não sabia sobre Amsterdã - A cidade do pecado. Confira:

1 - O três Xs

Se algum dia você for a Amsterdã poderá reparar nas ruas da cidade que em muitos lugares existem 3 Xs desenhados. Eles são referentes ao escudo e bandeira. A origem dessas cruzes de certa forma ainda é um enigma inclusive para os próprios holandeses, que também não tem tanta certeza sobre seu significado.

Existem 3 teorias principais: 1) Os 3 Xs representam os 3 principais males que assolaram a cidade desde sua fundação, sendo eles: inundações, incêndios e pestes. 2) Simbolizam os valores da rainha Wilhemina, nomeada na cidade, sendo eles: coragem, determinação e compaixão. 3) São devido ao padroeiro da cidade, São Nicolau, que morreu em uma cruz, em forma de X.

2 - O paradoxo negócio da maconha

Como dissemos, em Amsterdã a maconha é legalizada, mas seu negócio está em uma linha tênue entre o legal e o ilegal. As leis são as seguintes: O uso e a venda da maconha só é permitida em cafeterias (Coffee Shops); é permitido o cultivo 4 plantas pode residência, apenas para consumo próprio, uma pessoa pode andar na rua com, no máximo, 5 gramas da erva.

Paradoxo: Pensemos no caso de uma cafeteria do centro, pela qual passam centenas de turistas todos os dias. Essa cafeteria só pode ter 4 plantas de maconha que, claramente, não seriam suficientes para servir todos os clientes. Então, é quando precisam chamar o "Drug Dealer" (traficante) para que leve mais maconha.

Mas, como lemos anteriormente, há um problema. Como trasportar uma carga de maconha até o estabelecimento se uma pessoa só pode ter consigo no máximo 5 gramas? De onde o "Drug Dealer" obtém sua maconha se só é permitido o cultivo de, no máximo, 4 plantas por casa?

A contradição consiste em, apesar de ser legal o uso da maconha, como é possível a compra e venda, mesmo que nas cafeterias, se não há como, nem onde conseguir mercadoria suficiente. Não é à toa que a polícia precisa fazer vista grossa.

3 - Quantidade de canais, pontes e cafés

Simples assim: existem mais canais que em Veneza (Itália), mais pontes que em Paris (França) e mais cafés que em Viena (Áustria). São mais de 160 canais, sobre os quais passam mais de 1.200 pontes e um incontável número de cafés.

Alguns dos motivos pelos quais Amsterdã é uma cidade mágica, perdendo-se por entre suas ruas, uma cidade multicultural e jovem. Para evitar o mau cheiro da cidade por conta da água parada nos canais, a cidade tem um sistema de comportas que, toda semana, renova por completo todo o circuito de água da cidade.

4 - O bairro vermelho

Esse bairro é um dos mais conhecidos da cidade, além de uma das atrações mais populares entre os turistas. Ao longo de suas ruas existem centenas de vitrines, nas quais prostitutas mostram seus encantos, no intuito de atrair milhares de clientes, entre moradores e turistas.

A prostituição é legal na Holanda, e as mulheres que trabalham na área devem pagar impostos, previdência privada, etc. No Bairro Vermelho só é possível encontrar mulheres e travestis trabalhando. Há alguns anos, uma ex-prostituta que gerenciava um negócio local tentou introduzir gigolôs, como parte de um experimento sociológico, nas vitrines.

Mas a iniciativa não causou o efeito esperado, ao que se entendeu, as mulheres não tem tanto interesse nos serviços oferecidos por esses homens. Além disso, esse experimento causou críticas muitas críticas em todos os lugares. A questão é que isso significaria uma região cheia de jornalistas e, portanto, se existia qualquer chance de esse negócio funcionar, acabou antes mesmos de começar por conta da vergonha das possíveis clientes de saírem na frente das câmeras.

Então pessoal, vocês já foram a Amsterdã? Qual a impressão que tiveram? Se não foram, tem vontade? Encontraram algum erro na matéria? Ficaram com dúvidas? Possuem sugestões? Não se esqueçam de comentar com a gente!


Próxima Matéria
avatar Júlia Marreto
Júlia Marreto
É a dona de um coração esculpido pela literatura e preenchido pelos bons vinhos de Baco. Guiada nas artes da vida por Ares, possui a discreta delicadeza de um elefante pulando carnaval numa loja de cristais! Movida diariamente pelo combustível da vida: o café, essa garota possui raízes profundas na poesia da vida. É muito séria, mas sabe brincar na hora certa. Ama os animais e detesta filme de terror. Apesar de cantar mal, canta com sentimento. E adora musicais! Sua principal tentativa desportiva é o baralho. Ela gosta mesmo é de coisas antigas, apaixonada pela vida e sonha com o universo. Instagram: , @juliamarreto
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest