• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Esse é o ano em que a dengue será uma epidemia global

POR Bruno Dias    EM Ciência e Tecnologia      22/08/19 às 17h55

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública do mundo. A doença febril aguda é causada por um vírus e seu principal vetor de transmissão é o famoso mosquito Aedes aegypti.
A doença tem quatro tipos porque o transmissor dela tem quatro sorotipos diferentes. Sendo eles: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Em nosso país já foram encontrados todos esses tipos de dengue. E engana-se quem pensa que desde seu surgimento a doença ficou sob controle no Brasil.

A doença também pode se manifestar no organismo das pessoas contaminadas de três maneiras.

Dengue

Dengue Clássica: A dengue clássica é a forma mais leve da doença e mu vezes conitas é confundida com a gripe. Os sintomas são febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, entre outros. A dengue clássica pode durar de 5 a 7 dias.

Dengue hemorrágica: A dengue hemorrágica acontece quando a pessoa infectada com dengue tem a sua coagulação sanguínea alterada. Se a doença não for tratada rápido, ela pode levar à morte.

A dengue hemorrágica costuma ser mais comum quando a pessoa é infectada pela segunda ou terceira vez. No início, os sintomas são parecidos com os da dengue clássica, mas após o terceiro ou quarto dia surgem hemorragias. Além disso, ocorre uma queda na pressão arterial, podendo gerar tonturas e quedas.

Síndrome de choque de dengue: A síndrome de choque da dengue é a complicação mais séria da dengue. Se trata de uma grande queda ou ausência de pressão arterial, acompanhada de inquietação, palidez e perda de consciência. Uma pessoa que sofreu choque por conta da dengue pode ter várias complicações neurológicas e cardiorrespiratórias, além de insuficiência do fígado e hemorragia digestiva. A síndrome de choque da dengue não tratada pode levar à morte.

Estudo

Segundo o Ministério da Saúde, o número de casos prováveis de dengue no Brasil, em janeiro de 2019, mais que dobrou com relação ao mesmo período do ano passado. Visto até o dia dois de fevereiro, o aumento foi de 149% passando de 21.992 para 54.777 casos prováveis da doença.

Isso mostra que a dengue está longe de ser erradicada. E pior do que isso, um estudo recente que foi publicado pela revista Nature Microbiology, a doença será uma epidemia global em 2080.
Segundo os pesquisadores, 6,1 milhões de pessoas do mundo correrão o risco de contrair dengue no período. E isso equivale a 60% da população. Esse aumento nos casos tem dois fatores. O primeiro é o crescimento da população e o segundo o aquecimento global.

Dos lugares mais prejudicados, a América do Sul está entre eles junto com a África central e sudeste asiático. Isso porque esses lugares são considerados áreas endêmicas. Logicamente, os países que tem um número elevado de casos serão os mais afetados.

Nesses lugares a população tende a crescer. E com o calor sendo maior por períodos de tempo mais longos ajudará na manifestação de casos. De acordo com os pesquisadores, a única maneira de tentar barrar esse aumento de casos é fazer mias iniciativas para combater o aquecimento global. E esse caso pode ser menos aterrorizante se forem feitos avanços científicos para tratar a doença.

Próxima Matéria
Via   Vix  
Imagens Vix
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+