• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Este garoto passou dias tentando acordar a mãe sem perceber que havia algo de errado

POR PH Mota    EM Entretenimento      03/03/17 às 15h30

Aos 28 anos, Lydia Macdonald vivia numa casa em Perth, na Escócia, somente com a companhia de seu filho de apenas três anos de idade, Mason Martin. Quando ela sofreu com um ataque de asma severo que fez com que ela morresse, ninguém estava no local para socorrê-la.

Depois de alguns dias sem ter sinal de Lydia, sua melhor amiga, Jodi-Ann, entrou em contato com a mãe da mulher e decidiu visitar a residência. No lugar, ninguém atendia à porta, mas pela janela, Jodi viu a presença do pequeno Mason e pediu para que ele abrisse a porta.

A mulher teve uma terrível surpresa quando percebeu que a amiga estava deitada na cama, sem respirar e com o inalador em mãos. Lydia estava morta.

Tragédia

Quando a amiga de Lydia entrou na residência, o garoto apenas chorava e lamentava: "Eu não consigo acordar a mamãe." Jodi percebeu que a mulher estava morta e chamou as autoridades.

Ninguém sabe ao certo por quanto tempo o menino ficou sozinho no local ao lado do corpo da mãe, mas os pais da vítima disseram que falaram com ela pela última vez numa sexta-feira, enquanto o corpo só foi encontrado na quarta-feira da semana seguinte.

O menino sobreviveu sozinho, comendo apenas um pouco de queijo que encontrou na geladeira de casa, enquanto a mãe estava sem vida. Sofrendo com desidratação, o menino foi levado a um hospital, onde precisou ouvir da avó que a mãe nunca mais iria acordar.

Asma

Com apenas dois anos de idade, Lydia foi diagnosticada com asma. Segundo a mãe da mulher, Linda Macdonald, de 58 anos, a filha sempre levou uma vida feliz, apesar das idas e vindas frequentes ao hospital por conta de suas crises.

"Durante a adolescência, era era hospitalizada ao menos cinco vezes por ano com ataques severos. Depois de uma hora no nebulizador ela era enviada para casa, mesmo reclamando que não conseguia respirar com facilidade", contou a mãe.

Em 2001, Lydia sofreu um ataque tão grave que seus lábios ficaram azuis e ela precisou respirar com a ajuda de equipamentos por uma semana inteira.

Com a vida complicada, ela aprendeu a lidar com a condição e levar uma vida normal.

Nova vida

Aos 24 anos, a mulher conheceu o amor de sua vida Bobby Martin, com quem teve o filho Mason. Na nova vida, o seu estado de saúde chegou a apresentar uma melhoria e as crises de asma eram menos recorrentes. No entanto, quando o bebê tinha apenas oito meses de idade, Bobby morreu.

Voltando a viver sozinha, Lydia apresentou problemas novamente. Em abril de 2013, quatro meses após a morte do marido, teve uma crise tão grave que mesmo conseguindo ligar para a ambulância, não conseguiu pronunciar nenhuma palavra.

"Ela chegou a parar de respirar e morreu, mas os paramédicos conseguiram ressuscitá-la. Eu implorei para que ela voltasse a viver comigo, mas ela era independente demais e não queria permitir que a asma controlasse a própria vida", explicou a mãe, Linda.

Próxima Matéria
Via   Mirror     News  
Imagens Mirror News
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+