• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Estes pacientes com Alzheimer encontraram a alegria numa atividade emocionante

POR PH Mota    EM Entretenimento      14/03/17 às 19h19

As doenças que afetam o cérebro são vistas como algumas das mais preocupantes que podem atingir os seres humanos. Dentre os problemas, estão condições como mal de Alzheimer, uma doença incurável que vai ficando mais grave com o tempo.

Quem é afetado pelo mal sofre com demência ou perda de algumas funções cognitivas, como memória, orientação, atenção e linguagem, já que as células do cérebro começam a morrer. O diagnóstico em seus primeiros estágios pode ajudar a retardar o avanço da condição, mas nem sempre isso é possível.

Para conseguir manter a felicidade e a sanidade para batalhar a condição de saúde, idosos de um abrigo construído no Arizona têm ganhado uma companhia muito especial: pequenos gatinhos de estimação.

A partir de um programa de parceria desenvolvido entre o Catalina Springs Memory Care, focado em atender idosos com Alzheimer e demência, e o Prima Animal Care, instituição de cuidado com animais, os bichicos e os idosos estão encontrando carinho e alegria uns nos outros. Os gatos são enviados para o abrigo, onde recebem alimento e atenção dos pacientes, que se divertem e criam laços com os bichinhos.

"Foi inacreditável quanta alegria e luz essas pequenas bolinhas de fofura trouxeram para o nosso estabelecimento", declarou Rebecca Hamilton, diretora do serviço de saúde de Catalina Sprints.

Segundo ela, os pacientes idosos sabem que estão fazendo um trabalho importante ao cuidar dos animais e servir a comunidade, algo que eles não têm a chance de fazer com frequência, em razão dos problemas de saúde frequentes.

Diretora do centro para os idosos, Rebecca Hamilton foi voluntário no centro especializado no cuidado de animais por muito tempo e vinha tentando encontrar uma forma de conciliar as duas paixões. A solução encontrada foi a criação do programa que enriqueceu a vida dos pacientes e ofereceu suporte à instituição animal.

"Eu acho que existiu uma hesitação no início porque esses pacientes têm Alzheimer, mas a perda de memória não apaga a habilidade de amar e cuidar", explicou a mulher. Ela destaca que a maioria dos pacientes ali são avôs e avós que já tiveram experiências de vida com seus filhos, netos e animais de estimação, o que ajuda a trazer de volta o sentimento de carinho e cuidado com as criaturas.

Assim que Rebecca apresentou o programa para a instituição Pima Animal Care, os responsáveis ficaram animados e ela cuidou de toda papelada e processo legal. A partir daí, o lar de idosos recebeu dois pequenos filhotes de gatos que precisavam de cuidados especiais, pois estavam abaixo do peso, apesar de não apresentarem nenhum problema de saúde.

Além de trazer alegria para os idosos. os animais ajudaram a trazer memórias de animais de estimação de alguns pacientes. Uma mulher que vivia ali chegou a declarar que podia cuidar dos pequenos gatos pois já tinha feito isso com os animais que tinha em casa. "As memórias musculares acabam ativando caminhos no cérebro que podem ajudar a trazer algumas lembranças", comentou Rebecca.

O que você achou do método terapêutico? Comente a sua opinião nos comentários do texto!

 

Próxima Matéria
Via   Today  
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+