• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Estudo aponta que asteroide pode ter causado a Era do Gelo

POR Arthur Porto    EM Ciência e Tecnologia      20/11/19 às 13h31

O que deu início ao rápido resfriamento da Terra, há 12.800 anos? Intitulado de Younger Dryas, o período marcou o início de um declínio na megafauna da era do gelo. Além disso, ocasionou a extinção de mais de 35 espécies, na América do Norte. Embora haja controvérsias, acredita-se também que o período ocasionou o declínio populacional, entre os nativos americanos.

Na época, em um espaço de apenas alguns anos, as temperaturas médias caíram abruptamente. Algumas regiões do Hemisfério Norte, por exemplo, atingiram temperaturas até 14 graus Fahrenheit mais frias. Análises de camadas de gelo, na Groenlândia, mostram que o período frio no Hemisfério Norte durou cerca de 1.400 anos. Se uma queda como essa acontecesse hoje, estima-se que a temperatura média, em Miami, seria similar a de Montreal, no Canadá.

Embora a ideia seja bastante discutida, pesquisas revelam que esse período de resfriamento foi causado pelo impacto de um objeto, que veio do espaço. De acordo com um estudo, publicado na revista Scientific Reports, no final de outubro, pesquisadores da Universidade da Carolina do Sul apresentaram algumas evidências, que comprovam o impacto cósmico.

O rápido resfriamento da Terra

De acordo com Christopher Moore, autor e coautor do estudo publicado na revista Scientific Reports, o resfriamento, inicialmente, era um evento restrito ao continente norte americano. "Depois apareceram evidências em outros lugares que nos levaram a pensar que era um evento do Hemisfério Norte. E, agora, com as pesquisas no Chile e na África do Sul, parece que provavelmente foi um evento global".

Segundo o estudo, as evidências mostram que um cometa, ou asteroide fragmentado, colidiu com a Terra, há 12.800 anos. A colisão, para os cientistas, foi a responsável por causar o evento climático. Além de desencadear um inverno, o impacto provocou também incêndios florestais intensos, que bloquearam a luz solar com fumaça.

Para descobrir e validar tais evidências, Moore e sua equipe analisaram um lago da Carolina do Sul. O lago existe há pelo menos 20.000 anos. Além de Moore, cientistas de outras partes do mundo também encontraram em oceanos, lagos e núcleos de gelo grandes picos de partículas de carvão e fuligem.

Por estarem associadas à queima, tais partículas remetem à data de início do Younger Dryas. Por terem sido encontrados em toda a parte, acredita-se que o impacto é o que afetou o planeta. Para Moore, até 10% das florestas e pastagens do mundo podem ter queimado, diz Moore.

Novas evidências

Com o intuito de buscar mais evidências, Moore e sua equipe estudaram uma camada de sedimentos, intitulada como Youndger Dryas Boundary. "Se você imaginar a superfície da Terra como um bolo, o Youndger Dryas Boundary é a camada, que foi congelada em sua superfície, há 12.800 anos, posteriormente coberta por outras camadas ao longo dos milênios", explica Moore.

Nos últimos anos, cientistas encontraram uma variedade de materiais exóticos nessa camada que, mais uma vez, apontam para um impacto cósmico. Moore também analisou o lago White Pond, situado no sul do condado de Kershaw, na Carolina do Sul.

De acordo com o pesquisador, foram encontrados dentro do lago depósitos de lama e lodo com mais de 6 metros de espessura. Acredita-se que esses depósitos se acumularam desde o pico da última era do gelo, há mais de 20.000 anos.

Para certificar-se, a equipe de Moore extraiu sedimentos do fundo do lago. Com base nas sementes preservadas e no carvão de madeira que foram coletadas, descobriu-se que havia uma camada de cerca de 10 centímetros de espessura do Youndger Dryas Boundary. Tal camada originou-se em algum momento, entre 12.835 e 12.735 anos atrás.

Além disso, Moore encontrou também altos níveis de platina em suas amostras do White Pond, além de uma proporção incomum de paládio. E por que foi importante encontrar platina? Porque esse material tem concentrações muito baixas na crosta terrestre, mas é comum em cometas e asteroides.

Basicamente, com as novas evidências, hoje, é fato que um cometa ou asteroide possa mesmo ter causado uma calamidade ambiental, em escala continental, ou global, há 12.800 de anos atrás.

Próxima Matéria
Via   Astronomy  
Imagens Astronomy
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+