icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


Estudo diz que as pessoas que gostam de filmes pós-apocalípticos estão mais preparadas para pandemias

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      06/07/20 às 16h31
capa do post Estudo diz que as pessoas que gostam de filmes pós-apocalípticos estão mais preparadas para pandemias

Os filmes são capazes de nos levar para mundos desconhecidos. Alguns preferem ver comédias para dar algumas boas risadas, outras pessoas gostam de ver romances, para se envolver na história de amor dos personagens principais, e existem ainda as pessoas que adoram sentir medo com um bom filme de terror.

Os filmes servem para que possamos ver outras realidades, além da nossa, e nos transmitem emoções. Seja alegria, tristeza, medo ou qualquer outra. Mas parece que eles podem servir par além de nos mostrar outros mundos. Os filmes pandêmicos pode preparar as pessoas que os assistem para viver uma.

De acordo com o que sugerem novas pesquisas, os filmes pós-apocalípticos, ou 'prepper', que são os filmes de invasão alienígena e apocalipse zumbi, podem dar uma certa vantagem aos fãs do gênero tanto prática como mental na atual pandemia do coronavírus que estamos vivendo.

"Se é um bom filme, ele atrai você e você toma a perspectiva dos personagens. Então você está ensaiando sem querer os cenários. Achamos que as pessoas estão aprendendo indiretamente. É como, com exceção da falta de papel higiênico, elas praticamente sabiam o que comprar", disse Coltan Scrivner, psicólogo especializado em curiosidade mórbida na Universidade de Chicago.

Os autores do estudo, que ainda não foi revisado por outros especialistas, dizem que livros e filmes são um "presente da seleção natural". Isso porque eles ajudam as pessoas a passarem por situações do mundo real através da ficção.

Por mais que não estejamos perto de sofrermos um ataque alienígena ou zumbi, essas histórias de ficção podem dar as pessoas oportunidades mentais de enfrentar transtornos sociais perigosos estando no conforto de casa.

Estudo

Para ver se essa influência realmente acontece no mundo real, os pesquisadores perguntaram a 310 voluntários quais eram os filmes que eles preferiam. E como eles se sentiam preparados para a pandemia. E também se tinham experimentado algum nível de ansiedade, depressão, irritabilidade ou insônia.

O objetivo era testar se os filmes de terror ou pandêmicos, de alguma maneira relevantes para a crise atual, tinham preparado melhor as pessoas que os assistiram. E o que os pesquisadores concluíram é que, de algum modo, eles ajudaram sim.

"Descobrimos que os fãs de filmes de terror exibiam maior resiliência durante a pandemia. E que os fãs de gêneros 'prepper' exibiam maior resiliência e preparação", escreveram os autores.

Quando a pandemia aconteceu de verdade, aqueles que tinham um senso de curiosidade mórbida foram atraídos por filmes com "Contagion". Além de terem mostrado uma resiliência maior durante a crise.

Até mesmo quando os psicólogos controlaram idade, sexo, afinidade por filmes e outros traços de personalidade, eles viam evidências que sugeriam que os eventos assustadores imaginários estavam ajudando algumas pessoas a lidar melhor com a pandemia.

Filmes

Quando as pessoas se aprofundam nos filmes prepper, elas absorvem, conscientes ou não, informações sobre como as pessoas agem quando estão diante de uma pandemia. E segundo alguns psicólogos, essas informações podem ser bastante valiosas no mundo real.

Por exemplo, eles podem mostrar quais os tipos de conflitos sociais que provavelmente surgiriam no meio do caos. Ou em quais situações se pode confiar de verdade. E como o mundo será quando as pessoas começaram a agir de forma egoísta ou cooperativa.

Logo nas primeiras semanas da pandemia do novo coronavírus, o número de pessoas que assistiram o filme "Contagion" teve um grande aumento. O filme não é um escapismo, mas sim uma representação bem real do que poderia acontecer durante uma pandemia viral. E pode ser uma curiosidade mórbida que leva as pessoas a assistirem a esses filmes.

"Por uma maior propensão a coletar informações sobre fenômenos perigosos, indivíduos com uma curiosidade mórbida podem acumular um repertório maior de conhecimentos e estratégias de enfrentamento. Que seriam úteis em várias situações perigosas na vida real", escreveram os autores.

No estudo, ser fã de terror não estava relacionado a uma resiliência maior ou uma melhor preparação. Mas sim a um menor sofrimento psicológico. Já os fãs do gênero prepper estavam mais preparados para a pandemia. E tiveram menos interrupções negativas em suas vidas durante a pandemia.

"Nossas descobertas reforçam a ideia de que a ficção pode ser uma simulação útil de ambos os cenários específicos , no caso de filmes de pandemia. E de cenários geralmente medrosos, no caso de filmes de terror. A experiência com essas simulações pode ser usada como uma forma de preparação e prática de habilidades específicas relevantes para situações particulares. E habilidades mais gerais associadas à regulação emocional", concluem os autores.


Próxima Matéria
Via   Science alert  
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest