• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


EUA estão investigando se o TikTok é uma ameaça à segurança nacional

POR Arthur Porto    EM Ciência e Tecnologia      05/11/19 às 11h16

Como todos sabem, o TikTok é um aplicativo que permite gravar vídeos curtos. No ano passado, no mês de outubro, o aplicativo, anteriormente chamado de Musical.ly, chegou à lista dos mais baixados nos Estados Unidos.

Com 130 milhões de usuários, o app ficou à frente de Instagram e Facebook. O TikTok também é febre entre o público jovem asiático, especialmente entre os chineses. E no Brasil e nos Estados Unidos, o cenário não podia ser diferente.

Mesmo sendo sucesso absoluto, o aplicativo entrou em uma maré de azar. Em suma, o TikTok, agora, está sujeito a uma avaliação de segurança nacional. Em suma, ao que parece, tudo começou no mês passado, depois que vários senadores do país americano alertaram sobre possíveis problemas de cibersegurança.

Vigilância total

De acordo com uma reportagem da Reuters, o Comitê de Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos está analisando a aquisição do aplicativo por sua controladora, a ByteDance, com sede em Pequim. No momento, o comitê trabalha em busca de possíveis ameaças à segurança nacional.

Em suma, o TikTok, hoje, possui aproximadamente 800 milhões de usuários ativos mensais. No início deste ano, o app ultrapassou 1 bilhão de downloads. Em 2017, a ByteDance comprou o aplicativo Music.ly por US$ 1 bilhão. Com a compra, eventualmente, milhões de usuários migraram para TikTok. Tal investimento ajudou a popularidade do app, nos mercados ocidentais.

Segundo a Reuters, a empresa ByteDance não obteve autorização do CFIUS (Comitê de Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos) para realizar tal compra. Até agora, todos os detalhes da investigação federal permanecem incertos. De acordo com uma fonte anônima, mas não obstante do caso, as autoridades possuem evidências de que o TikTok envia dados à China.

A empresa, em contrapartida, refutou repetidamente. Em um comunicado, feito em seu blog no mês passado, a TikTok afirmou que conta com data centers na América e Cingapura, para armazenar dados de usuários nos EUA.

Embora a ByteDance possua sede em Pequim, o aplicativo não opera fora do país. Assim, por esse motivo, não está vinculada à lei chinesa. Além disso, de acordo com um porta-voz do TikTok, seus usuários, conteúdo e dados também não estão conectados aos outros produtos da ByteDance, na China.

Defesa

Um porta-voz da ByteDance deu, ao New York Times, a seguinte declaração:

"Embora não possamos comentar sobre os processos regulatórios em andamento, o TikTok deixou claro que a maior prioridade é ganhar a confiança de usuários e reguladores nos EUA. Parte desse esforço inclui trabalhar com o Congresso, e estamos comprometidos em fazê-lo".

No final de outubro deste ano, os senadores Chuck Schumer (D-NY) e Tom Cotton (R-AR) enviaram uma solicitação a Joseph Maguire, diretor interino de inteligência nacional, pedindo que o aplicativo fosse avaliado quanto à possíveis ameaças à cibersegurança.

"Com mais de 110 milhões de downloads somente nos EUA, o TikTok é uma ameaça potencial de contrainteligência", escreveram eles.

Além dos senadores Chuck Schumer (D-NY) e Tom Cotton (R-AR), o senador Marco Rubio (R-FL) também se mostrou preocupado. O aplicativo, agora, é o novo alvo dos Estados Unidos. Assim como outros produtos chineses, que lutam para se destacar no mercado global de tecnologia.

Próxima Matéria
Via   Gizmodo  
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+