• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Ex-faxineiro vence obstáculos e se forma em Jornalismo (ele já está empregado)

POR Bruno Destéfano    EM Compartilhando coisa boa      10/04/19 às 19h16

Chegou aquele momento de respirar fundo e pensar: é, ainda há esperança nesse mundaréu. A história de Ronaldo Rocha, de 24 anos, é um símbolo de perseverança e quebra de paradigmas. A persistência para se tornar um jornalista fez com que o ex-faxineiro reorganizasse tudo o que a gente acha que não pode mudar. Em apenas 7 anos, ele praticamente revirou a sua vida de cabeça para o ar - em um bom sentido - e está aí o resultado. O ex-faxineiro se formou em Jornalismo e já está empregado. É aquele ditado, não é? Vai, mundo!

Raízes

Oriundo de Barreiras, no interior da Bahia, Ronaldo teve uma vida conturbada desde o início. Aos 8 anos de idade, o menino já vendia verduras na rua e, com o dinheiro que conseguia, estudava em uma lan house (inclusive, saudades lan house! Bons tempos!). O sonho de ser jornalista começou aos 12 anos, quando assistia aos noticiários da TV local.

Nasceu para ser telejornalista mesmo, viu? Aos 13 anos, o adolescente comprou o primeiro equipamento digital, que foi usado para fazer gravações na Escola "Marcos Freire", onde montou um programa de notícias.

Juventude

Com 17 anos, na flor da juventude, Ronaldo desconversou o pai ao dizer que iria passar férias em Brasília com um primo. Acabou indo para a Capital Federal tentar a sorte por meio de seus R$ 80 no bolso. Lá, a vida de Ronaldo também não foi fácil. Pouco tempo depois, o tal primo se casou e o futuro jornalista teve que mudar de casa.

Ronaldo foi então morar de favor em outro local da mesma cidade. Começou a trabalhar como auxiliar de limpeza em uma escola da Cidade Estrutural, e foi a partir daí que as pequenas revoluçõezinhas começaram a acontecer. Ronaldo sempre foi muito falante e isso chamou a atenção dos alunos.

Mudanças

Ações recocheteiam em outras ações e oportunidades. Aos poucos, se tornou professor voluntário (!!!). Após o expediente, dava aulas de teatro, dança, mágica e de gastronomia. Ele também fazia filmes amadores na cidade para mostrar realidades como a pobreza, o bullying e ajudar a comunidade.

De tempo em tempo, a chama dentro do jovem continuava aumentando. Ronaldo cursou o EJA, Educação Para Jovens e Adultos, terminou o Ensino Médio e decidiu fazer Jornalismo de uma vez por todas. Mesmo com pouco dinheiro que recebia como faxineiro, nada o frustrou a ponto de cogitar desistência.

O amanhã é hoje!

E a persistência rendeu frutos a médio e longo prazo. Ronaldo trocou o balde e a vassoura pelo diploma, mas não tem vergonha de suas origens. O rapaz, inclusive, entrou na sua colação de grau segurando os equipamentos usados por ele no trabalho. Foi uma forma de demonstrar a gratidão pelos itens que o auxiliaram financeiramente na sua graduação.

O que era um futuro distante acabou se tornando o "hoje". Além do diploma de Jornalista, ele comemora uma outra conquista: este mês Ronaldo conseguiu um emprego na área. Ele foi contratado para comandar a assessoria de imprensa da Candangolândia, cidade a 12 quilômetros de Brasília. O ex-faxineiro se formou em Jornalismo e já está empregado!

Agora, o ex-faxineiro não é "ex" de nada. Muito menos se arrepende de sua história de luta e conquista. Tudo se tornara reflexo do que ele é hoje. Não há vergonha em trabalhar, seja qual área for. Agora ele é jornalista e está fazendo exatamente aquilo que sempre quis fazer: contar histórias. Ronaldo quer, acima de tudo, usar a câmera e o microfone para ajudar as pessoas.

Próxima Matéria
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+