• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Foi por esse motivo que um hacker roubou informações de 57 milhões de usuários do Uber

POR Natália Pereira    EM Curiosidades      11/12/17 às 14h22

A empresa de transportes que mais vem crescendo no país, e outras partes do mundo é o Uber. Todos vocês provavelmente devem conhecer. Mas como isso funciona? A empresa usa um método diferente e inovador, assim como a Airbnb. Ambas são grandes empresas e oferecem um serviço através de um produto que não é seu. A Airbnb oferece estadias em propriedades que não são suas, assim como o Uber transporta seus usuários usando os carros dos próprios motoristas. Como toda grande empresa, ela também tem sofrido ataques desde o seu surgimento. Isso tem crescido de tal forma que nem os hackers ficaram para trás nessa.

O aplicativo está presente em mais de 77 países e em cerca de 600 cidades. Já revolucionou a forma com que as pessoas se locomovem até mesmo para o trabalho. Só no Brasil já temos em média 17 milhões de usuários, chegando a 65 milhões em todo o mundo. Uma notícia que tem ganhado muita repercussão na internet conta como um hacker conseguiu roubar informações privadas de 57 milhões de usuários e recebeu dinheiro da empresa Uber para que a história fosse abafada. Mas como e por que isso tudo aconteceu?

Quem é o hacker?

Informações começaram a surgir a respeito da identidade do hacker que conseguiu informações de 57 milhões de usuários do Uber. Totalizando 87,6% de todo o seu público. O hacker na verdade é um jovem de apenas 20 anos que mora na Flórida. Ele reside com sua mãe e pretendia ajuda-la com as contas. Ambos estavam enfrentando dificuldades no momento e isso fez com que ele aderisse a esse método "diferente". Para que isso fosse possível, ele usou seu conhecimento para encontrar uma brecha e recolher as informações dos usuários do app e depois entrou em contato com a empresa propondo um troca. Os dados de seus clientes por dinheiro, é claro.

Atitudes da Uber depois do ocorrido

Existe um programa de recompensas para aqueles que encontram falhas nos aplicativos. Basicamente eles desafiam os hacker a encontrarem brechas e pagam uma quantia para aqueles que as descobrirem. O Uber faz parte desse grupo e costuma pagar alguns milhares para aqueles que acharem algum problema no seu sistema, mas nenhum valor havia sido tão alto a ponto de resultar em 100 mil dólares. O hacker entrou em contato direto com a empresa e só foi encaminhado para o programa de recompensas após tudo já ter acontecido.

A empresa utilizou o programa para encontrar informações a respeito do hacker. Eles exigiram que ele apagasse os dados que roubou e assinasse um acordo de sigilo. Em seguida ele iria receber a quantia prometida pela "descoberta da falha". O CEO do Uber, Dara Khosrowshahi, fez uma declaração no mês passado na qual confirmou o ocorrido e disse que nada daquilo deveria ter acontecido. Dois funcionários da empresa foram demitidos em função disso. Dentre eles o diretor de segurança da empresa, Joe Sullivan, e o executivo Craig Clark. O Uber vem recebendo processos de alguns estados e cidades por não ter divulgado o ocorrido. Um acordo foi firmado entre a empresa e a FTC, Comissão Federal do Comércio, concordando em participar de auditorias de privacidade durante 20 anos.

Próxima Matéria
Via   Uber     Canaltech     Gizmodo  
Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+