icone menu


Inteligência artificial calcula quantos asteroides podem colidir com a Terra

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      19/02/20 às 16h37
capa do post Inteligência artificial calcula quantos asteroides podem colidir com a Terra

O universo sempre foi um tema de grande interesse para nós. A totalidade do espaço ainda não foi entendida, mas existem coisas que os cientistas já conseguiram descobrir, entender e, em algum nível, descrever. Além dos planetas que conhecemos e dos astros que vemos constantemente nos céus, nosso sistema solar está repleto de outros corpos.

Um exemplo disso são os asteroides. Eles são corpos rochosos e metálicos, que têm uma órbita definida ao redor do sol. Eles fazem parte dos corpos menores do sistema solar e, normalmente, têm algumas centenas de quilômetros. Vários deles já passaram perto do nosso planeta e alguns até já nos atingiram, como o do tempo dos dinossauros.

Poucos são os asteroides que têm um status de celebridade, como por exemplo o que dizimou os dinossauros. Mas é claro que outros asteroides podem causar um impacto em nosso planeta.

Como esses corpos rochosos são quase uma constância no espaço, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Leiden, na Holanda, criou uma rede neural, chamada de "Identificador de Objeto Perigoso". De acordo com a equipe, essa rede consegue prever se um asteroide está em uma rota de colisão com a Terra.

Detecção

Essa nova inteligência artificial conseguiu ver 11 asteroides que não estavam classificados pela NASA como perigosos. Eles tinham mais de 100 metros de diâmetro, o que é suficientemente grande para explodir com a força de centenas de armas nucleares no impacto com a Terra. Eles conseguiriam nivelar várias cidades.

Além de asteroides, eles também viram rochas espaciais que poderiam chegar a aproximadamente 7 milhões de quilômetros da Terra. Nenhuma dessas rochas apresenta uma ameça iminente. Mas eles passarão astronomicamente perto do nosso planeta, entre os anos 2131 e 2923.

Com a ajuda de um supercomputador, os pesquisadores foram 10 mil anos para frente para ver os movimento orbitais dos planetas em nosso sistema solar. Depois disso, a equipe reverteu a simulação, fazendo uma Terra do futuro onde os asteroides desviaram do nosso planeta e viram o lugar exato onde esses corpos estariam.

"Se você voltar o relógio, você vai ver os asteroides conhecidos pousarem novamente na Terra. Dessa forma, você pode criar uma biblioteca das órbitas dos asteroides, que pousaram em nosso planeta", disse Simon Portegies Zwart, coautor e astrônomo.

Asteroides

Essa simulação serviu como um treinamento para essa rede neural, e depois, procurou padrões nos dados que eram os mesmo entre os asteroides que poderiam eventualmente atingir a Terra.

Para ver se a inteligência artificial era eficaz em detectar asteroides que afetariam a terra, eles testaram em dados conhecidos de dois mil asteroides que são listados pela NASA. A rede neural foi 90,99% precisa em ver quais eram perigosos e quais não.

Depois de verem os resultados, a equipe trabalha para que a rede seja ainda mais precisa.

"Agora sabemos que nosso método funciona, mas certamente gostaríamos de nos aprofundar nas pesquisas com uma rede neural melhor e com mais informações", disse Zwart.

"A parte complicada é que pequenas interrupções nos cálculos da órbita podem levar a grandes mudanças nas conclusões", concluiu.


Ei Fatos, não deixe de conferir:

A câmera das meninas desaparecidas revela fotos arrepiantes e sem explicação

Próxima Matéria
Via   Futurism  
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.

Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+