• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Kamikatsu, a cidade japonesa que quase não produz lixo

POR Cristyele Oliveira    EM Compartilhando coisa boa      04/04/19 às 15h19

O descarte irregular de lixo se tornou um dos maiores problemas ambientais. Afinal, a maior parte de tudo o que consumimos acaba sendo jogado no meio ambiente. O fato é que, nós, seres humanos, produzimos anualmente toneladas e mais toneladas de resíduos. Pensando nisso, foram desenvolvidos sistemas de reciclagem como uma opção para lidar com o excesso de detritos. No entanto, por mais que seja uma iniciativa promissora, na prática, ela não funciona tão bem, e a grande maioria do lixo acaba tendo um destino inapropriado.

Se você considera separar o lixo entre orgânico e reciclável uma tarefa complicada, saiba que em uma cidade no Japão os moradores fazem essa separação em 45 categorias diferentes. Kamikatsu, é uma pequena cidade nas montanhas da ilha de Shikoku, no sudoeste do Japão. Os seus habitantes desenvolveram uma prática de coleta tão eficiente, que tornou a cidade um exemplo quando se trata de descarte de lixo.

Lixo zero

No começo, Kamikatsu descartava o lixo como qualquer outra cidade no mundo. Os resíduos ou eram jogados na natureza ou queimados. Nenhuma das duas opções são favoráveis ao meio ambiente. A queima dos restos inutilizáveis produz uma enorme quantidade de gases de efeito estufa, e os aterros sanitários poluem a terra. Até que em 2003, a população decidiu mudar essa realidade e implantaram o conceito de "lixo zero".

Como não é difícil de se imaginar, no começo não foi uma tarefa simples. Até mesmo porque todos estavam acostumados com o descarte incorreto dos resíduos. E também, separar o lixo pode ser uma tarefa tediosa e demorada. Mas é tudo uma questão de adaptação.

No centro da cidade, eles criaram um centro de coleta, com caixas separadas para diferentes tipos de produtos. Desde jornais, revistas, caixas, tampas de metal, garrafas plásticas, latas de alumínio e de aço, lâmpadas e muitos outros. Pode até parecer um pouco exagerado separar o lixo em 45 categorias, mas isso faz parte de um plano audacioso que os moradores pretendem alcançar. O plano é chegar ao desperdício zero, e eles estão bem próximos de conseguir. Graças ao programa de coleta, eles já atingiram 80% desse objetivo.

A coleta de lixo

Tudo é muito bem separado na hora do descarte. Garrafas de vidro e recipientes de plásticos devem ter as tampas retirados e classificador por cor. Todo tipo de plástico ou papel que envolve as garrafas deve ser removido. Garrafas PET de água ou chá devem ser separados de garrafas de molho ou óleo de cozinha. As regras garantem o destino mais adequado para cada tipo de resíduo.

Por não ter caminhões que passem nas casas recolhendo o lixo, os próprios habitantes têm que levá-los até o centro de reciclagem. Os funcionários do posto conferem se tudo foi classificado e então encaminha para o destino correto.

Inicialmente essa nova forma de recolher o lixo pode ter sido um fardo para os moradores, mas acabou se tornando um estilo de vida em Kamikatsu. As pessoas passaram a enxergar o lixo de maneira diferente. Agora existe uma maior consciência sobre o que eles compram, como usam e como descartam as coisas.

E a pequena cidade, com pouco mais de 1.700 habitantes, se tornou tão eficaz em reciclagem que apenas 20% de todo o lixo produzido por eles vai para o aterro sanitário. E até 2020, eles pretendem eliminá-lo totalmente.

E aí, o que você achou dessa iniciativa? Acha que funcionaria aqui no Brasil? Conta para a gente nos comentários.

Próxima Matéria
Via   Nation  
Imagens Nation
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+