• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Loraine Allison, a criança perdida do Titanic

POR Arthur Porto    EM Curiosidades      03/10/19 às 19h21

Todos nós sabemos a história do lendário Titanic. Entretanto, poucos conhecemos os detalhes que norteiam o dia do naufrágio. Entre esses desconhecidos fatos, há o caso de Helen Loraine Allison. Allisson, em suma, tinha apenas dois anos quando seus pais e seu irmão, na época ainda bebê, embarcaram no Titanic.

Os Allisons reservaram passagem de primeira classe a bordo do Titanic, com destino a Montreal. A família embarcou no navio em Southampton, juntamente com mais quatro funcionários.

Quando o navio bateu em um iceberg e afundou no Oceano Atlântico, há mais de 100 anos, acreditava-se que somente uma única criança da primeira classe havia morrido, no naufrágio. A criança era Allison.

Ao que tudo indica, Allison não havia sido colocada num bote salva-vidas. O motivo? Na época do acidente, seus pais estavam desesperados, em busca do seu irmão mais novo, Trevor, que havia sumido.

No entanto, o menino foi salvo por uma das criadas da família. Basicamente, a criado o havia colocado em um dos botes do navio, sem o conhecimento dos pais. Nesse ínterim, o desespero custou a vida de Allison e de seus pais, cujos corpos, com exceção do pai, jamais foram encontrados.

O retorno de Allison

Em 1940, cerca de 28 anos depois do navio atingir as profundezas do oceano, uma mulher chamada Helen Kramer afirmou que era Loraine Allison. Em 4 de setembro de 1940, o Milwaukee Journal e a tribuna de Chicago foram os primeiros a ecoaram a notícia. Durante um programa, intitulado como "We, the People", Kramer aproveitou o momento e explicou melhor a história.

Ali, Kramer afirmou ter sido salva por Thomas Andrews, designer e construtor do navio. A afirmação surpreendeu, obviamente. Afinal, acreditava-se também que Andrews não havia sobrevivido ao naufrágio do Titanic. Em um outro momento do programa, Kramer disse ainda que foi posta num bote ao lado de um senhor que a criou na Inglaterra. O senhor, no caso, resolveu revelar sua identidade anos depois do acidente.

Após descobrir a identidade de seu cuidador de exatos 50 anos, Kramer tentou convencer e provar à família Allison, que era parte deles. Em contrapartida, não obteve sucesso. Em suma, os Allisons a mantiveram longe, por mais de 5 décadas. Kramer faleceu em 1992.

Mesmo com o falecimento de Kramer, a lenda continua viva. Debrina Woods, supostamente, descendente de Loraine Allison (ou Helen Kramer), continuou a difícil tarefa de tentar convencer os Allison que eram de sua mesma linhagem.

Após inúmeras tentativas, 20 anos depois da morte de Kramer, a verdade é finalmente apresentada à família.

DNA

De acordo com o jornal, The Telegraph, um grupo de entusiastas criou o Loraine Allison Identification Project. Em suma, a ideia do projeto era uma maneira de persuadir e encorajar os membros da família Allison, a realizarem um teste de DNA.

A estratégia funcionou e o exame de DNA foi realizado. Os resultados foram conclusivos. Os exames mostraram que Helen Kramer e Debrina Woods não tinham quaisquer parentesco com quaisquer membros da família Allison.

"É ótimo resolver esse caso, mas não podemos esquecer que este é apenas um dos inúmeros casos trágicos do Titanic", disse Tracy Oost, fundadora do projeto Loraine Allison Identification, ao The Telegraph. "O único mistério que permanece é quem foi Helen Kramer".

Próxima Matéria
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+