icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


Medicamento contra o ebola pode ajudar a combater o Covid-19

POR Bruno Dias EM Curiosidades 21/04/20 às 14h37

capa do post Medicamento contra o ebola pode ajudar a combater o Covid-19

Nós estamos vivendo a pandemia do coronavírus, que está deixando todas as pessoas bastante assustadas e surpresas. O COVID-19 surgiu em Wuhan, na China. E por causa de sua intensidade e capacidade de matar as pessoas, o mundo todo está passando por uma situação bastante delicada e está em estado de alerta.

A porcentagem grave de todos os casos é considerável. Então, não é de se espantar que especialistas estejam trabalhando o mais intensamente possível, na procura de uma cura para esse novo vírus.

E um hospital, em Chicago, tem tratado seus pacientes graves de COVID-19 com o remdesivir, um remédio antiviral da Gilead Sciences, e estão os observando de perto. Os pacientes se recuperaram de forma rápida da febre e dos sintomas respiratórios. E quase todos os pacientes receberam alta, em menos de uma semana.

Remédio

O remdesivir foi um dos primeiros medicamentos a ser identificado como tendo um potencial contra oSARS-CoV-2, que é o que causa o novo coronavírus. O mundo todo está esperando os resultados clínicos da Gilead. E com os resultados sendo positivos, aFood and Drug Administration aprovará rapidamente seu uso. Se esse medicamento se provar seguro e eficaz ele pode ser o primeiro tratamento aprovado contra o COVID-19.

Para fazer esses ensaios clínicos, a Universidade de Chicago usou 125 pessoas infectadas com o novo coronavírus. Foram feitos dois ensaios clínicos de fase 3 de Gilead. De todas as pessoas do estudo, 113 tinham doenças graves. Todos os pacientes receberam infusões diárias de remdesivir.

"A melhor notícia é que a maioria dos nossos pacientes já recebeu alta, o que é ótimo. Apenas dois pacientes morreram ", disse Kathleen Mullane, especialista em doenças infecciosas da Universidade de Chicago, que supervisiona os estudos de remdesivir para o hospital.

Estudo

Esses mesmos estudos estão sendo feitos em outras instituições, e ainda é impossível determinar com certeza os resultados completos do estudo. E nenhum outro dado clínico foi divulgado sobre os estudos de Gilead.

"O que podemos dizer nesta fase é que esperamos que os dados de estudos em andamento estejam disponíveis", disse Gilead, em um comunicado.

Mesmo que esteja esperançosa com os resultados obtidos pela Universidade de Chicago, Mullane diz que ainda tem hesitações em tirar algumas conclusões.

"É sempre difícil. Mas certamente quando começamos a droga, vemos curvas de febre caindo.A febre agora não é um requisito para as pessoas irem a julgamento, vemos quando os pacientes chegam com febre alta, eles reduzem rapidamente. Vimos pessoas saindo dos ventiladores um dia, após o início da terapia. Portanto, nesse campo, em geral, nossos pacientes se saíram muito bem", comentou.

"A maioria dos nossos pacientes é grave e a maioria sai em seis dias. O que indica que a duração da terapia não precisa ser de 10 dias. Temos muito poucos que saíram para 10 dias, talvez três", continuou.

O estudo geral de Gilead sobre o coronavírus tem 2.400 participantes em 152 lugares diferentes em todo mundo. O estudo moderado é feito com 1.600 pessoas em 169 lugares diferentes também no mundo todo.

O estudo investiga os cursos de tratamento do remdesivir tanto em cinco quanto em 10 dias. E o objetivo principal é fazer uma comparação estatisticamente da melhora dos pacientes nos dois tipos de tratamento.

Falando em termos científicos, todos os dados são especulações até que a leitura completa do estudo seja feita. Isso significa que não se deve tirar conclusões definitivas ainda.


Próxima Matéria
Via   Statnews  
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest