• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Menina de 11 anos luta com crocodilo mortal para salvar sua amiga de 9 anos

POR Arthur Porto    EM Mundo Animal      06/11/19 às 10h10

Como sabemos, heróis não habitam apenas os quadrinhos e as telas do cinema. Esse paradigma já caiu por terra há muito tempo. Além disso, nem todos os heróis usam capas. E nem todos, necessariamente, precisam trajar uma roupa especial. Em uma determinada situação, para ser um herói, é necessário apenas coragem. E coragem é o que uma menina de 11 anos teve de sobra, ao salvar uma outra garota, de 9 anos, de um ataque de crocodilo.

De acordo com a agência de notícias Sunday News, do Zimbábue, Latoya Muwani, estava nadando num riacho com amigos, quando o animal se aproximou. Rebecca Munkombwe, uma das amigas do grupo de Latoya Muwani, já estava saindo do riacho, mas mergulhou de volta, quando ouviu os gritos da amiga.

Em suma, Latoya Muwani começou a gritar dizendo que algo a havia mordido. No mesmo instante, o grupo de amigos percebeu que era um crocodilo. O grupo, nesse ínterim, ficou atordoado.

"Como eu era a mais velha entre os que estavam presente, senti que a responsabilidade de salvá-la deveria partir de mim", explicou Munkombwe. "Então, sem pensar duas vezes, eu pulei na água. Em seguida, nadei até o encontro de Muwani".

O ataque

Quando se aproximou da amiga, Munkombwe percebeu que o crocodilo havia prendido a mandíbula ao redor da coxa de Muwani. Em suma, durante o ataque, Muwani lutava para não se afogar. Foi exatamente nesse momento que Munkombwe atacou o animal.

"Pulei em cima do crocodilo e comecei a bater nele com as mãos". Em seguida, a jovem heroína resolveu acertar os olhos do animal. O ataque de Munkombwe fez com que o crocodilo largasse Muwani. "Assim que ela se libertou, nadei com ela até à margem e as outras crianças nos puxaram para fora da água. O crocodilo, felizmente, não nos atacou depois que largou Latoya", explicou a jovem.

Felizmente, Muwani foi levada a tempo para o Hospital St. Patrick, o mais próximo do local. Ali, a pequena recebeu o tratamento adequado. Os exames médicos apontaram ferimentos leves. Além disso, Muwani não fraturou nenhum osso. Os pais, quando ficaram sabendo do ataque, estavam no trabalho. "Eu estava trabalhando quando soube que minha filha havia sido atacada por um crocodilo enquanto nadava", disse Fortune Muwani, pai da vítima.

"Por um momento, pensei no pior. Mas minha filha só sobreviveu por causa de Rebecca. Como ela conseguiu fazer isso, não sei, mas sou grata a Deus", disse. De acordo com o boletim médico, a recuperação de Muwani será rápida.

Repercussão

O ataque ocorreu no rio Deka, noroeste de Zimbábue. O ataque provocou medo entre os moradores. Até o momento, essa é a terceira vez que um ataque de crocodilo é registrado na área. Segundo o conselheiro local, Steve Chisose, as vítimas mais recentes foram crianças.

"O que contribui para esses incidentes é o difícil acesso à água", disse Chisose. De acordo com o conselheiro, "o ZimParks foi acionado para remover os répteis do local antes que causem danos graves ou, até mesmo, mortes".

A frequência alarmante desses ataques de crocodilos não é exclusiva do Zimbábue. Vários ataques já foram registrados em outras partes da África nos últimos anos. Em suma, a maioria ocorre quando as pessoas estão dentro da água.

No ano passado, uma mulher e seu bebê foram atacados enquanto buscavam água em um rio em Uganda. Meses antes, um pastor, na Etiópia, foi derrubado por um crocodilo, enquanto realizava um batismo à beira do lago.

"Os crocodilos ficam em áreas de criação de peixes, mas quando os peixes se esgotam, eles vêm à superfície e atacam seres humanos", disse um porta-voz da Autoridade de Vida Selvagem, de Uganda, após os ataques.

De acordo com especialistas, estima-se que o Crocodilo do Nilo, espécie comumente encontrada em todo o continente, seja o responsável por ocasionar anualmente mais de 300 ataques.

Próxima Matéria
Via   ATI  
Imagens ATI
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+