• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Nova tumba egípcia de 4 mil anos foi encontrada extremamente conservada

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      22/04/19 às 19h04

Poucas civilizações conhecidas pela humanidade carregam uma reputação de tanto mistério como a dos egípcios antigos. Ao longo dos vários séculos de pesquisas e estudos, conseguimos acumular muitas respostas sobre o Egito, mas ainda hoje, muitos mistérios comprovam que ainda há muito a se aprender sobre esse povo.

O Antigo Egito foi uma civilização do norte da África, onde hoje está localizado o "Egito moderno". Essa foi uma das primeiras grandes civilizações da Antiguidade e manteve, durante a sua existência, uma continuidade nas suas formas políticas, artísticas, literárias e religiosas. Ela foi uma civilização da antiguidade oriental no norte da África, concentrada ao longo do curso inferior do rio Nilo. Os egípcios cultuavam inúmeros deuses, tinham suas formas de enterrar seus mortos e cultuar suas divindades, além dos truques de beleza que são usados até hoje.

Mesmo que arqueólogos, historiadores e outros especialistas continuem investigando as pirâmides e os mistérios do deserto, desconhecemos o destino de muitos reis e faraós, a importância de monumentos ou o relacionamento dos egípcios com outras civilizações da época.

E o deserto e essa civilização parecem sempre nos surpreender com coisas novas de sua cultura. E não somente por sua criação, mas também no quão bem preservadas as coisas do antigo Egito são.

Segundo o ministro de antiguidades do país, Khaled al Enani, uma nova tumba foi achada. E ela impressionou por quão bem preservada estava. A mesma é decorada com inscrições e relevos coloridos.

Tumba

Esse novo achado arqueológico é datado de mais de quatro mil anos. Mas a pintura na tumba parece como se tivesse sido pintada recentemente.

O túmulo pertence a um oficial chamado Khuwy. Ele era um nobre da Quinta Dinastia, ou seja, um período entre o século 25 e 24 a.C. Ele foi encontrado na necrópole de Saqqara, no Cairo. Segundo o chefe da equipe de escavação, Mohamed Mujahid, a estrutura do túmulo é feita em L. Ela tem um pequeno corredor que leva à uma antecâmara. E outra característica única que esse túmulo tem é um túnel de entrada. Isso era visto somente nas pirâmides. E os relevos coloridos estão mais à frente em uma grande câmara.

As cores que são vistas no túmulo eram usadas para pessoas da realeza. Por esse fato é que os arqueólogos acreditam que talvez Khuwy tenha tido um relacionamento com Djedkare Isesi, que era o faraó da época. E a sua pirâmide está próxima ao túmulo.

Outra teoria é a de que o túmulo foi projetado seguindo as reformas do faraó, da administração do estado e dos cultos funerários.

Descobertas

Além do túmulo, também foram encontrados a múmia e os canopos de Khuwy. Eles são recipientes que têm os órgãos divididos em várias partes. E com essa descoberta, os pesquisadores pretendem entender mais do reinado de Djedkare Isesi.

Esse túmulo foi a mais recente descoberta em Saqqara. Em 2018, eles descobriram alguns desenhos também bem preservados. E um cemitério de gatos, junto com uma coleção de escaravelhos de besouros raros mumificados.

Para inaugurar o túmulo, o ministro al-Enani chamou 52 embaixadores estrangeiros, adidos culturais e uma famosa atriz egípcia. E o Egito espera que, com essa descoberta, a economia turística do país consiga melhorar.

Próxima Matéria
Via   Boredpanda  
Imagens AFP
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+