• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O fim dos mamutes foi algo mais triste do que se imaginava

POR Arthur Porto    EM Curiosidades      10/10/19 às 14h51

Após a maioria dos Mamutes-lanosos da Terra desaparecem, uma pequena população migrou para a ilha do Ártico. Essa pequena população sobreviveu na ilha de Wrangel, até entrar em extinção, há 4.000 anos.

Recentemente, cientistas realizaram novas descobertas sobre esses últimos mamutes e sobre o evento "catastrófico", que causou a extinção das espécies. De acordo com a revista Newsweek, as novas descobertas foram feitas pelo Museu Finlandês de História Natural.

Em suma, a equipe de cientistas do museu conseguiu obter uma imagem mais clara sobre a história da espécie. Para tal, foi preciso analisar diversos fatores. Os fatores analisados pela equipe, em síntese, foram dieta, nutrição, metabolismo e vestígios da população que foram encontrados na ilha de Wrangel, como, por exemplo, ossos e dentes gigantescos.

A pesquisa

Publicada na revista Quaternary Science Reviews, a pesquisa mostrou que extinção da espécie foi ocasionada por um evento climático. De acordo com a pesquisa, um "colapso genômico" foi o responsável.

Devido ao evento climático, o número de indivíduos entrou em declínio. Além disso, de acordo com os cientistas, o habitat isolado afetou, de certo modo, o olfato dos mamutes. Em suma, a capacidade de detectar feromônios os tornaram incapazes de socializar e procriar.

Além das mudanças climáticas, que ocorreram após a última era glacial, outro fator, que proporcionou o fim da espécie, foi a caça. Após analisarem o genoma de duas espécies de mamutes, os cientistas descobriram que apenas 300 mamutes viveram na ilha de Wrangel.

A situação é diferente dos mamutes que habitaram a Ilha de Saint Paul. Ali, a população era composta por 13.000 mamutes. Diferentemente de todas os outros estudos já publicados, os dados da atual pesquisa foram obtidos com base nas mudanças alimentares dos mamutes.

"Queríamos examinar a ecologia alimentar dos mamutes para ver se conseguimos vincular as mudanças em sua dieta à extinção. Queríamos, por exemplo, descobrir se havia sinais de inanição ou desnutrição", disse um dos pesquisadores.

Parâmetro

Com os mamutes na Rússia desaparecendo há 15.000 anos, e a população na ilha de St. Paul desaparecendo há 5.600 anos, o debate em torno da extinção do último grupo, que habitou a ilha de Wrangel, tem intrigado os cientistas há anos.

"A julgar pelo número de achados de ossos de mamute datados de radiocarbono na ilha de Wrangel, essa última população parece ter desaparecido abruptamente", apontou a pesquisa. Ainda de acordo com o estudo, "a julgar pelo que as pesquisas anteriores mostraram sobre o habitat, os mamutes desapareceram em meio a condições estáveis". Mas por quê? Em suma, devido a "eventos de gelo". Com o solo coberto de neve, os mamutes não encontravam comida facilmente.

Basicamente, as mudanças climáticas, para os cientistas, não foram as responsáveis unicamente pela morte dos mamutes. Esses tipos de eventos causaram a morte de 20.000 bois-almiscarados, em 2003, no Ártico canadense. Os animais morreram de fome.

Embora tenha-se concluído que o fator ambiental afetou irreversivelmente a propagação da espécie, os cientistas acreditam a falta de água também acelerou o processo de extinção.

"Nosso próximo passo é estudar esse problema em específico. Em suma, o intuito é para rejeitar ou confirmar a hipótese de que, de tempos em tempos, o suprimento de água potável dos animais poderia apresentar altos níveis de elementos tóxicos. Acreditamos que tais elementos foram liberados pelas rochas que há no local".

Próxima Matéria
Via   ATI  
Imagens BBC
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+