• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O homem que sobreviveu ao Titanic e a mais 3 naufrágios

POR Erik Ely    EM História      25/06/20 às 20h11

Sobreviver a um naufrágio pode ser considerado um evento único e marcante para toda uma vida. Dessa forma, o que falar do homem que sobreviveu ao Titanic e mais 3 naufrágios? Mais conhecido como "foguista inaufragável", Arthur John Priest também passou por confrontos de guerra e até mesmo teve que lidar com torpedos durante os tempos no mar.

No ano de 1887, nascia o inglês Arthur John Priest, um homem um tanto quanto azarado. Assim, ainda na infância, ele viveu de uma maneira nada confortável ao lado de seus onze irmãos. Por isso, desde de muito cedo, ele precisou trabalhar para ajudar a família. Nessa época, Arthur vivia em Southampton e ainda garoto, começou a trabalhar em diversas indústrias, onde realizava trabalhos braçais.

Sonhos que foram por água abaixo

Por conta do ótimo serviço que prestava, Arthur foi chamado para trabalhar na White Star Line, uma empresa responsável por diversas viagens no mar. Desse modo, ele passou a trabalhar como foguista em embarcações. Na época, o principal empreendimento da companhia era o RMS Titanic. No entanto, como o jovem ainda era novo na empresa, como um teste, ele passou a trabalhar no navio-irmão, o RMS Olympic e foi aí que as coisas começaram a sair do controle.

Em 20 de setembro de 1911, a chamada acabou sendo marcada por uma grande tragédia. Em alto-mar, o navio acabou colidindo com o cruzador HMS Hawke, um navio menor que, por pouco, não virou. Porém, esse evento deixou o casco e estrutura do navio destruídos. Com isso, o foguista ajudou a equipe de reparos e dividiu outras tarefas de emergência. Mesmo com o susto, Arthur se saiu bem e agradou a empresa.

Com o ocorrido, a empresa passou a recrutar especialistas para tripularem a viagem inaugural do Titanic. Foi então que, quatro dias antes do navio partir, Arthur foi escalado no dia 6 de abril de 1912. Depois disso, o inglês embarcou juntamente com a equipe no dia 10 do mesmo mês e eles não tinham a menor ideia do que estava por vir.

Um dos maiores náufragos da história

No dia 14 de abril, o Titanic viria a colidir com um iceberg. Nesse momento, Arthur logo identificou que o choque resultaria em um desastre e se prontificou para ajudar no que podia. Isso tudo, antes mesmo da população do navio ter conhecimento do que estava acontecendo. Assim, fazendo o que podia, Arthur pulou no 15º bote salva-vidas e foi resgatado na manhã seguinte pelo RMS Carpathia.

No ano seguinte, Arthur passou a trabalhar na Royal Mail Steam, no RMS Alcantara, que realizava escalas para o Rio de Janeiro, Montevidéu e Buenos Aires. Entretanto, com a Primeira Guerra Mundial, o transatlântico foi atacado em fevereiro de 1916. Com isso, 68 tripulantes do navio foram mortos, mas o "foguista inaufragável" saiu ileso.

Com mais naufrágio, Arthur teve seu salário aumentado pela empresa. Porém ainda no mesmo ano, em novembro, um outro navio, o HMHS Britannic, colidiria com uma mina explosiva, causando mais naufrágio. Porém, dessa vez, a companhia estava mais preparada e poucos funcionários foram mortos.

Por fim, Arthur passou a trabalhar no navio SS Donegal, uma espécie de balsa menor que servia como navio de ambulância durante a Primeira Guerra Mundial. Assim, em 1917, o navio foi torpedeado em ação inimiga, resultando em mais uma explosão. De toda forma, Arthur sobreviveu novamente e, depois dessa, decidiu que estava na hora de se aposentar.

Próxima Matéria
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+