O que é o nitrato de amônio? O produto químico que causou a explosão de Beirute

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      06/08/20 às 15h20
foto de destaque

Nessa semana, a capital do Líbano, Beirute, foi atingida por uma explosão que matou, pelo menos, 78 pessoas e deixou milhares de feridos. De acordo com o primeiro-ministro do país, Hassan Diab, a explosão foi causada por cerca de 2700 toneladas de nitrato de amônio, que estavam armazenadas perto do porto de carga da cidade.

Nas imagens da explosão, primeiro Aparece um incêndio queimando perto de onde a explosão acontece. O nitrato de amônio, NH?NO?, é produzido na forma de pequenas bolinhas porosas. E ele é um dos fertilizantes mais usados no mundo todo.

Mas ele também é o componente principal de muitos tipos de explosivos usados na mineração. Nesse caso, ele é misturado com óleo combustível e detonado por uma carga explosiva.

Mesmo assim, para que um desastre industrial com o nitrato de amônio aconteça, várias coisas precisam dar errado. E infelizmente, pode ter sido isso que aconteceu no caso que vimos em Beirute.

Explosão

O nitrato de amônio não queima por sua conta própria. Ao invés disso, ele age como uma fonte de oxigênio que pode sim acelerar o processo de combustão de outros materiais. E para que aconteça uma queima o oxigênio precisa estar presente. E os comprimidos de nitrato de amônio dão um suprimento de oxigênio bem mais concentrado do que o ar.

Por essa razão que ele é bem eficiente nos explosivos usados na mineração, sendo misturado com petróleo e outros combustíveis. Mas quando ele está em temperaturas altas o suficiente, o nitrato de amônio pode se decompor violentamente por conta própria.

Nesse processo, gases são criados, incluindo óxidos de nitrogênio e vapor de água. É exatamente essa liberação rápida de gases que causa uma explosão. A decomposição do nitrato de amônio pode ser acionada se acontecer uma explosão onde ele está armazenado, ou então se acontecer um incêndio perto.

A proximidade de um incêndio foi o que aconteceu na explosão de 2015, em Tianjin, que matou 173 pessoas. Isso aconteceu depois que produtos químicos inflamáveis e nitrato de amônio foram armazenados juntos em uma fábrica no leste da China.

Ainda não é certo o que causou a explosão de Beirute. Mas as imagens do acidente sugerem que ele pode ter sido provocado por um incêndio. Que é possível ser visto em um lugar da área portuária antes da explosão acontecer.

Para que um incêndio desencadeie uma explosão de nitrato de amônio é difícil. O fogo precisa ser mantido e confinado na mesma área que os nitratos de amônio. Além do que, o nitrato de amônio em si é combustível para o fogo. Então, ele precisa ser contaminado ou então embalado em algum outro material combustível.

Risco à saúde

Foi dito que 2700 toneladas de nitrato de amônio foram armazenadas, em um armazém em Beirute, por seis anos sem nenhum controle de segurança. Claro que isso ajudou para que as circunstâncias fossem essas vistas.

Uma explosão de nitrato de amônio produz grandes quantidades de dióxido de nitrogênio. E o dióxido de nitrogênio é um gás vermelho e que tem um mau cheiro. Nos vídeos e imagens de Beirute, é possível ver a cor avermelhada nos gases da explosão.

Normalmente, os óxidos de nitrogênio estão presentes na poluição do ar das cidades e podem irritar o sistema respiratório. E quando esses níveis de poluentes são grandes é particularmente preocupante para as pessoas que tem problemas respiratórios.

A fumaça de Beirute será um grande risco à saúde dos moradores da cidade, até que eles a dissipem naturalmente. Isso pode levar vários dias dependendo do clima do local.


Ei Fatos, não deixe de conferir:

2 SINAIS QUE FALTAM PARA JESUS VOLTAR - E SE FOR VERDADE

Próxima Matéria
Via   Science alert  
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.

Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+