• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O que é o Ramadã e o que os muçulmanos comem durante esse período?

POR PH Mota    EM Curiosidades      29/05/17 às 16h16

No fim da última semana, milhões de muçulmanos ao redor do mundo começaram um período de oração, resguarda e celebração conhecido como Ramadã. Em 2017, o período começou em 26 de junho e vai até 24 de junho.

Ramadã é o nome que se dá ao nono mês do calendário islâmico. Durante todo o mês, 1,6 bilhão de muçulmanos ao redor do mundo fazem jejum do nascer ao pôr do sol. Ao longo de todo o jejum, comidas e bebidas não devem ser consumidas e o pensamento deve ser mantido puro. Os fiéis e seguidores da religião acreditam que a prática ensina paciência, modéstia e espiritualidade.

O jejum não é a única coisa exigida durante o período. Os religiosos também devem ficar sem sexo, sem fumar, sem xingar, sem entrar em bricas ou fofocas. Basicamente, muçulmanos não devem fazer nada que seja considerado pecado durante o período.

Jejum

Por conta do jejum, as refeições são servidas antes do nascer do sol, chamada suhoor, e depois do pôr do sol, chamada iftar. Dependendo da região, as refeições podem ser consumidas em família ou com membros da comunidade local.

Apesar de haver uma cobrança rigorosa dos hábitos, idosos e doentes não precisam seguir o jejum. Além disso mulheres também podem se isentar da falta de comida se estiverem grávidas, menstruadas ou cuidando de filhos recém nascidos. Em algumas comunidades, é comum que as pessoas que estão de fora do jejum sirvam comida para os pobres e carentes durante os períodos de suhoor e iftar.

Em alguns países, não seguir o hábito pode ser considerado crime. Na Arábia Saudita ou nos Emirados Árabes Unidos, por exemplo, comer durante o Ramadã pode ser motivo de multa ou prisão. Além dos efeitos na lei, o desrespeito é considerado um pecado maior do que a traição para os religiosos.

Refeições

Durante o Ramadã, as duas refeições principais são suhoor e iftar. Suhoor deve ser uma refeição saudável e poderosa, capaz de oferecer energia para o corpo ao longo de todo o dia longe de alimentos. A refeição termina assim que o sol nasce e o período de orações matutinas, fajr, começa.

Ao fim do dia, quando o sol desaparece, a oração da noite começa. Para alguns muçulmanos, é comum quebrar o jejum antes de começar o banquete noturno, iftar, comendo algumas tâmaras. A partir do fim da oração, está liberado o consumo de alimentos e bebidas até que a hora do próximo suhoor chegue, no início do dia seguinte.

O ciclo chega ao fim no último dia do Ramadã (24 de junho, em 2017). Na ocasião, os muçulmanos celebram o Festival da Quebra de Jejum, chamado de Eid al-Fitr.

O que comer

Os tipos de comida podem variar de acordo com as regiões do mundo, já que os muçulmanos estão espalhados por todos os continentes.

Para Nour Zibdeh, muçulmana e nutricionista de Virgínia do Norte, nos Estados Unidos, o dia começa antes das 4h da manhã, quando o despertador toca para a primeira oração. Antes de voltar a dormir para encarar o dia de trabalho, algumas opções de refeição são omeletes, queijos e frutas temperadas.

Cerca de quatro a cinco horas depois, a fome começa a bater. Ao londo do dia, existem dois momentos de oração que ajudam a desviar o foco da alimentação e aguardar o pôr do sol. É nesse momento que se costuma quebrar o jejum com tâmaras e água, para muita gente.

Para o jantar, ou iftar, é comum consumir sopas, carnes, frutas, legumes. Além disso, é importante consumir muitos líquidos para repor toda a perda que o corpo sofreu durante os períodos de jejum. Antes de ir para a cama, os muçulmanos ainda passam por um quinto período de oração, quando se preparam para começar o ciclo mais uma vez no dia seguinte.

Apesar dos padrões, durante a noite é comum que as opções de banquete e a quantidade de refeições seja muito diferente em cada comunidade. Isso porque é o único momento em que os religiosos podem comer, o que faz com que muita gente aproveite o período para consumir os alimentos que vão gerar a energia que o corpo vai precisar no dia seguinte.

Próxima Matéria
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+