• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O que é a Síndrome das Pernas Inquietas?

POR Lucas Curado    EM Entretenimento      26/12/17 às 18h31

Nós não estamos falando sobre impaciência ou simplesmente mexer a perna embaixo da mesa quando você está entediado. Essa síndrome afeita 1 a cada 20 pessoas no mundo e pode trazer danos a saúde do indivíduo. Essa condição tende a piorar com o tempo, logo é preciso estar atento e buscar ajuda médica quando necessário, mas não vai achar que só porque você está balançando a perna que você já possui a condição. Em um cenário mais grave, o indivíduo pode ficar sem dormir e ter seu padrão de sono bruscamente alterado. Privação de sono é um fator que resulta em outros males, tornando essa síndrome algo muito perigoso para a qualidade de vida daquela que a tem.

Hoje a Fatos Desconhecidos traz uma matéria para você sobre essa síndrome que afeta muitas pessoas no mundo. Como já dito, não confunda isso com a ação de mexer o seu pé ou perna embaixo da cadeira, na verdade se trata de algo muito mais grave. Tanto é verdade isso, que é necessário ser tratada a base de remédios. A condição pode acompanhar a vida de um pessoa por muito tempo. Descubra o que é a Síndrome das Pernas Inquietas.

Síndrome das Pernas Inquietas

Dor, formigamento , pontadas e a movimentação incessante da perna são alguns dos sintomas dessa síndrome. Imagine-se tentando ter uma noite de bom sono enquanto suas pernas lhe incomodam e não ficam estáveis. Aquele que sofre dessa síndrome tende a ter uma péssima noite de sono, todos os dias.

Essa condição neurológica pode acarretar vários prejuízos para a pessoa que a sofre, como por exemplo sonolência, indisposição, irritabilidade e sintomas causados por privação de sono. Isso se dá pelo fato dessa síndrome se manifestar normalmente a noite, coincidindo com o horário de descanso. Não existe uma faixa de idade para a manifestação da mesma, ela afeta todas as idades.

Diagnóstico

O diagnostico dessa síndrome é feito pelos sintomas apontados acima junto de alguns exames. É avaliado a intensidade da dor, sensibilidade ao toque e os reflexos do paciente. Para ajudar no diagnóstico é feita uma polissonografia e dosagem de ferritina e transferrina, que são as substâncias que transportam ferro nas regiões periféricas do corpo.

Dependendo da intensidade e a gravidade dessa síndrome, a pessoa que sofre dessa condição pode acabar levando uma vida muito desconfortável. Contudo, existe tratamento para ela.

Tratamento

Se tratando de um cenário mais leve, pode ser indicado para o paciente utilizar benzodiazepínicos. Todavia, em casos mais críticos e graves, é indicado o uso de mediamentos que estimulam receptores de dopamina e que não aumentem o nível de sangue periférico, no caso, pramipexole e ropínele. Também será indicado para o paciente que o mesmo não consuma de forma alguma álcool, cafeína e faça o uso de cigarros. Se a condição se agravar, pode se tornar insuportável para o portador como também para pessoas que convivem com eles.

Após o tratamento, mesmo com a síndrome sobe controle, muitas vezes o paciente precisa reaprender a dormir. Colocando de outra forma, a privação do sono e as interrupções constantes por conta da síndrome, acabam alterando os padrões de sono da pessoa. Consequentemente, ela precisa reaprender a dormir, assim por dizer, em casos mais graves e de maior duração.

Vale lembrar que antidepressivos e neurolépticos podem criar um quadro parecido com a síndrome. Caso você suspeite que esteja com a Síndrome das Pernas Inquietas, procurar ajuda especializada.

E aí, o que achou da matéria? Deixe seu Comentário e até a próxima.

Próxima Matéria
Lucas Curado
Não só redator... Como também músico e compositor. Amante de um bom humor ácido e memes.
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+