• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O Último Dia de Amy Winehouse

POR Diogo Quiareli    EM Último Dia      18/10/19 às 12h54

Provavelmente, você já deve ter ouvido pelo menos uma música de Amy Winehouse. Essa foi uma das cantoras mais icônicas de todos os tempos, mas que, infelizmente, nos deixou bem cedo. Uma coisa que muito perguntam a respeito dela é: como foi o último dia de Amy? E como foi o decorrer de sua vida? Foi pensando nisso que nós resolvemos trazer mais essa matéria da nossa saga de Último Dia.

Amy Winehouse possuía uma voz única. A cantora é uma das mais lembradas quando se pensa em R&B, soul e jazz. Apesar de sua carreira ter sido relativamente curta, o seu talento era inegável. O seu dom em compor e cantar músicas criou uma legião de fãs. Fãs que até hoje lamentam a morte tão precoce da cantora. Mas por um acaso, você sabe como foram os últimos momentos de Amy Winehouse?

Aos 27 anos, a cantora Amy Winehouse foi encontrada morta em sua casa em Londres, no dia 23 de julho de 2011. A notícia logo chegou aos grandes jornais que divulgaram para o mundo o ocorrido. A morte da artista caiu como uma bomba no mundo da música e deixou fãs e colegas de profissão abalados. O jornal Daily Mail publicou que a cantora havia morrido bebendo Vodca e assistindo vídeos dela mesma no YouTube. Mas claro que isso não consegue explicar de fato o que realmente aconteceu com a artista e nem os motivos que a fizeram consumir álcool em excesso ao longo de sua vida. Para isso, é preciso voltarmos ao passado. Ir na vida íntima de Winehouse.

História de Amy Winehouse

Amy Jade Winehouse nasceu no dia 14 de setembro de 1983, em Londres, na Inglaterra. De família judia, chegou a frequentar uma escola para judeus. Apesar disso, quando adulta, ela se desligou da religião, mas sempre que perguntavam, se dizia orgulhosa de ter ascendência judaica e comparecia, ao menos uma vez por ano, à sinagoga. Para ela, o hábito era um sinal de respeito. Seus tios maternos foram os responsáveis por fazerem com que ela se interessasse por música. Eles eram músicos voltados ao jazz. Além disso, o pai de Amy era fã de Frank Sinatra e sempre que podia, cantava músicas dele para a filha. Aos poucos, a menina foi ganhando gosto pela música e demonstrando o seu talento. Não demorou muito e ela se tornou cantora profissional.

Seu primeiro álbum foi intitulado Frank, e até teve boas vendas para uma cantora nova. Seu sucesso no Reino Unido, e entre o público fã do seu estilo musical, já era grande. Entretanto, quando Back to Black foi divulgado, é que sua carreira ganhou proporções globais. Esse álbum, lançado em 2006, trouxe músicas icônicas, como a própria "Back to Black", e veio acompanhado de singles como Rehab.

Apesar do sucesso na carreira profissional, já em 2005, a cantora começou a passar por problemas pessoais, que marcariam sua vida particular. Amy passou a utilizar drogas pesadas e começou a abusar do álcool. Para piorar, ela praticava bulimia. Essa somatória de fatores a fez perder peso de forma visível. Outro ponto importante, que você precisa saber, é que a vida romântica da estrela sempre foi muito atribulada. Seu relacionamento com Alex Clare, e depois, o casamento com Blake Fielder-Civil, a separação com Blake e o namoro com o diretor de cinema, Reg Traviss. Todos esses vínculos ajudaram a devastar emocionalmente a cantora.

Relacionamentos complicados

Segundo pessoas próximas, de todos os relacionamentos, o com Blake foi o período mais difícil. Nesse período, ela foi flagrada em um vídeo consumindo altas quantidades de drogas, chocando muitos fãs. Se não bastasse, Winehouse começou a se envolver em polêmicas, sempre envolvida algum episódio de violência. A primeira vez foi quando uma mulher a criticou por conta de seu relacionamento com Blake, em 2006. Irritada, a artista socou a mulher no rosto.

No ano seguinte, ela e Blake foram presos por estarem com maconha, mas foram liberados após pagarem fiança. Em 2008, ela foi acusada de agredir um homem e, novamente, foi presa por portar substâncias ilícitas. Dessa vez, um julgamento chegou a ser feito, mas Winehouse acabou sendo inocentada, o que provocou críticas da imprensa. Todo esse consumo de substâncias e abuso de álcool enfraqueceram o corpo de Amy, que acabou parando no hospital por diversas vezes. Em uma dessas ocasiões, ela teve problemas respiratórios nos quais o seu pulmão mostrou que estava funcionando abaixo da capacidade normal.

Além dos problemas físicos, Amy passou a ter problemas psicológicos. Mesmo assim, ela se recusava a procurar por ajuda médica. De acordo com relatos de pessoas próximas, ela não gostava da interferência de qualquer um em sua vida e queria sempre fazer as coisas do seu próprio jeito. Para o alívio dos fãs, no final de 2008, a cantora afirmou que tinha largado as drogas e que a partir dali, disse que iria se cuidar mais. Ela declarou mais tarde, em 2010, que decidiu largar as drogas quase que de repente. Segundo a artista, um dia, ela acordou e decidiu que não queria mais se drogar, pois estava cansada daquilo. Só que, apesar das drogas terem ficado para trás, não demorou muito para o álcool fazer parte do seu cotidiano.

Lidando com a fama

Em uma entrevista, concedida a um jornal britânico chamado Britain"s Sunday Times, Raye Cosbert, um dos empresários de Amy, chegou a declarar que a artista nunca gostou desse mundo dos famosos. Ele afirmou que a cantora se sentia desconfortável entre os VIP"s. Ele afirmava que ela nunca conseguiu realmente se adaptar à vida de famosa. O chefe de segurança da cantora, contou em entrevista que os últimos três dias de Amy Winehouse foram relativamente comuns. O único problema que ele sentiu é que ela aparentava ter usado algum tipo de substância, mas que não tinha certeza disso e, ao mesmo tempo, ele percebeu que ela estava bebendo, segundo ele, de forma moderada.

Um dia antes de morrer, a cantora se consultou com a sua médica, em Londres, Christina Romete. Romete era uma das pessoas em quem a cantora mais confiava para dizer como se sentia e com quem costumava se abrir a respeito de seus sentimentos. De acordo com a médica, Amy estava muito bem e não aparentava mas nenhum sinal de depressão. Christina ainda afirmou que a artista proferiu as seguintes palavras para ela: "Eu não quero morrer!". Ou seja, a sua luta para ter uma vida melhor estava de pé. Mas o vício em álcool voltaria a prejudicar sua jornada mais uma vez.

O Último dia de Amy

Conforme o segurança da cantora, na madrugada do dia 22 para o dia 23 de julho, Amy foi para o seu quarto. Lá, ela ficou bebendo, assistindo TV e depois, começou a ouvir músicas. Boa parte dessas canções eram suas músicas, como chegou a relatar o Daily Mail. Em algum momento desse tempo, ela deitou em sua cama, começou a passar mal e acabou falecendo. Quando deu dez horas da manhã, sem saber do que havia ocorrido, o segurança entrou no quarto para ver como Winehouse estava. Ele tentou acordá-la e não conseguiu. Acreditando que se tratava novamente de um sono pesado, após uma noite de bebidas, como já havia ocorrido tantas vezes, ele preferiu sair do quarto e voltar mais tarde.

Às três horas da tarde, o segurança voltou ao quarto e tentou novamente acordar a cantora, que estava deitada na mesma posição há horas. Dessa vez, ele percebeu que havia algo de estranho nela. Amy Winehouse não tinha sinais de vida como respiração ou mesmo pulso. Rapidamente, ele ligou para a emergência e poucos minutos depois, duas ambulâncias chegaram à residência. Os médicos entraram no cômodo e lá mesmo concluíram que a cantora estava morta.

Causas

Para você ter noção do quanto a cantora acabou exagerando no consumo de álcool, após uma autópsia, feita em uma amostra de sangue, ficou constatado que a cada 100 ml de sangue havia 416 miligramas de álcool, o que dá uma taxa de 0,41%. Algo muito alto, ainda mais para uma pessoa que já havia passado por sérios problemas de saúde. O inquérito aberto sobre a morte de Amy Winehouse acabou concluindo que ela morreu por causa de envenenamento por álcool, que é justamente o consumo excessivo da substância. Ainda havia no relatório que o quarto tinha duas garrafas grandes de vodca vazias e uma outra pequena. Todas, provavelmente, consumidas pela cantora.

O funeral foi realizado no dia 26 de julho, e contou com aproximadamente 500 pessoas. Em seguida, a artista teve o seu corpo cremado. Outro detalhe fica por conta de que as músicas de Amy Winehouse simplesmente explodiram nas rádios do mundo todo. A título de curiosidade, dois anos após a morte da cantora, um segundo inquérito foi aberto para ter certeza a respeito das causas de sua morte. O segundo resultado foi praticamente idêntico ao primeiro, apenas um pouco mais detalhado. A própria família de Amy não chegou a contestar nenhum dos dois resultados.

Se você se interessa muito pela história da artista, eu te recomendo o filme Amy. Esse é um documentário, produzido em 2015, que retrata praticamente toda a trajetória da cantora. Nele, são mostrados os problemas de relacionamento de Winehouse, os seus vícios e os bastidores de sua carreira e da vida pessoal. Confira conosco o vídeo a respeito em nosso canal.

Vídeo

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Próxima Matéria
Diogo Quiareli
Geminiano, 25 anos, goiano.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+