• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O último dia de Kurt Cobain

POR Diogo Quiareli    EM Último Dia      17/10/19 às 15h31

Você não precisa ter nascido nos anos 1990, para saber quem foi Kurt Cobain. Porém, só quem viu o cara, ao vivo, sabe o quanto seus shows eram intensos e sua presença era incrível. Kurt faleceu e deixou todo um legado. Uma grande dúvida é: como foi o último dia dessa grande personalidade? Dessa vez, apresentaremos um pouco da história e as últimas horas de vida do rei do grunge. Se você é um fã de sua música, vai se surpreender com tudo aqui. 

Kurt Cobain morreu no dia 5 de abril de 1994, quando tirou sua própria vida. O vocalista do Nirvana tinha problemas com depressão e era viciado em drogas. Mas antes de eu começar a contar como foram as últimas horas desse grande astro do punk rock, vamos contar um pouco mais da vida de Kurt. Kurt Donald Cobain nasceu no dia 20 de fevereiro de 1967, em Aberdee, estado de Washington, nos Estados Unidos. Ele também tinha uma jovem irmã, chamada Kimberly, nascida em 24 de abril de 1970.

Amor pela música

Kurt era filho de um mecânico e de uma garçonete. Como ele descobriu que seria músico? Na verdade, o envolvimento com a música vinha de berço. Os tios de Kurt eram músicos e costumavam tocar em bandas locais. Com apenas dois anos de idade, Kurt Cobain já mostrava que tinha vocação para ser cantor. Mas um acontecimento, na infância de Kurt, acabou marcando o resto de sua vida. Quando ele tinha apenas sete anos de idade, seus pais se separaram. Kurt, mesmo sendo uma criança, não gostou nada disso. Ele mesmo dizia que esse evento fez com que ele fosse uma criança reclusa e rebelde. Ele ficava a maior parte do tempo sozinho, ouvindo música ou pintando.

Kurt não tinha uma casa fixa. Às vezes, ele morava com o pai, outras vezes, passava um tempo com a mãe. E ainda tinha as épocas em que ele morava na casa de amigos ou mesmo de parentes próximos. A separação dos pais de Kurt fez com que ele mudasse drasticamente.

Os pais de Cobain diziam que nunca iriam se casar novamente. Aquela velha promessa que os pais divorciados fazem para os filhos. Mas, na primeira oportunidade, o pai de Kurt se casou com uma mulher chamada Jenny Westeby. Mas Kurt não gostava nada disso. Quando ganhou um irmãozinho, Chad Cobain, Kurt ficou enfurecido. Ele dizia que aquela família não era real. Para completar, a mãe de Kurt começou a namorar um homem que abusava dela. Kurt inclusive testemunhou algumas dessas agressões. Agora dá para entender porque a separação dos pais marcou a vida de Kurt?

Influências musicais e inicio da carreira

Nessa época, ele ouvia artistas como Ramones e cantava músicas, como "Motorcycle Song" de Arlo Guthrie, e "Hey Jude", dos Beatles. Completamente apaixonado pelo rock "n" roll, Cobain ganhou sua primeira guitarra quando tinha 14 anos de idade. Ele começou tocando suas próprias canções, e logo, formou sua primeira banda, chamada "Fecal Malter". Dale Crover era o baixista do grupo. Em 1985, Kurt conheceu Krist Noviselic. Eles se mudaram para a cidade de Olympia, fazendo shows em bares. O ano de 1986 foi complicado para banda de Cobain. Foram várias formações e em cada uma delas, o nome da banda mudava.

Por fim, a banda ficou formada por Kurt, Krist e Chad Channing. Dessa vez, eles resolveram, de uma vez, por todas qual seria o nome da banda: Nirvana. Dois anos depois, o Nirvana lançava seu primeiro single, chamado "Love Buzz". Em 1989, o Nirvana já tinha conquistado um grande público e, assim, era hora de lançar um álbum. A banda então divulgou o álbum "Bleach". Kurt era o destaque da banda. Suas letras faziam os jovens rebeldes delirarem.

O Nirvana, com o sucesso já encaminhado, fez sua primeira turnê nacional em 1989. No mesmo ano, Kurt conhece uma moça que o deixou encantado. Estou falando de Courtney Love, a vocalista da banda "Hole". A vida do casal podia ser resumida na famosa frase clichê: sexo, drogas e rock "n" roll. Um ano depois, em 1990, o Nirvana tinha um novo baterista, Peters. Com essa nova formação, a banda gravou o segundo single, chamado "Sliver". Depois, gravaram o EP "Blew", com seis canções, incluindo a primeira versão de "Smells Like Teen Spirit".

Nova formação

Mas essa formação não durou muito tempo. Em outubro do mesmo ano, Dave Grohl entrava na banda, para se tornar o baterista definitivo. O segundo álbum do Nirvana veio em 1991. Intitulado como "Nevermind", a banda vendeu mais de 30 milhões de cópias e anunciou um novo estilo de música, o grunge. Seattle, considerada a capital do rock, delirava com os shows do Nirvana. Mas a fama e o dinheiro pareciam não fazer bem para Kurt Cobain. No ano de 1992, Kurt recebeu uma notícia, um tanto inesperada. Courtney Love estava esperando um filho, ou melhor, uma filha. Os dois então resolveram se casar no Havaí. Kurt se casou de pijama e Frances, sua filha, nasceu pouco tempo depois.

O Nirvana estava voando baixo. Os shows eram devastadores. Os fãs iam ao delírio. O Nirvana era símbolo de rebeldia, os integrantes quebravam instrumentos em cima do palco, protagonizando o auge do grunge. Mas, algumas vezes, eles acabavam passando dos limites. Em 1993, por exemplo, Kurt Cobain abaixou as calças e cuspiu em uma câmera. Nesse ano, mesmo com vários problemas envolvendo heroína, o Nirvana lançou o disco "In Utero", com destaque para a música Serven the Servants.

Problemas com drogas e depressão

Porém, os problemas de Kurt com heroína começaram a ser cada vez mais sérios. Uma tentativa de suicídio falha do cantor do Nirvana deixou seus entes queridos preocupados. Vendo que o pior poderia acontecer, Courtney Love e seus amigos resolveram fazer algo para tentar parar Kurt.

Eles pediram ajuda para um conselheiro da banda. No final de março de 1994, Courtney, Krist Novoselic e Pat Smear, junto com outros amigos, realizaram uma reunião com Cobain para tentar colocá-lo nos trilhos. Durante a reunião, Courtney chegou a ameaçar largar Kurt, caso ele não parasse de usar drogas. Sua banda não fez diferente. Eles disseram que fariam o desmembramento, se ele não concordasse em procurar tratamento em uma clínica de reabilitação.

É nessas horas, que nós vemos quem realmente são os nossos amigos. Os companheiros de Kurt Cobain foram severos demais com ele? Foram! Mas era a única coisa que podia ser feita para salvar a vida do cantor do Nirvana.

Pouco tempo depois dessa reunião, Cobain topou ser internado em uma clínica. Mas antes, Kurt precisava fazer algo. Ele foi visitar um amigo chamado Dylan Carlson, que estava na reunião uns dias antes. Kurt contou histórias de que havia pessoas invadindo sua casa e que precisava de uma arma de fogo. Dylan disse que ele parecia completamente normal e que já havia emprestado armas para ele antes.

Passos para a morte

Kurt deu a ele cerca de 300 dólares, para comprar uma espingarda de calibre 20 e uma caixa de munição. Tendo em mente que não demoraria muito para Kurt ir para a clínica de reabilitação, Dylan se ofereceu para ficar com a arma, até ele voltar da reabilitação. Mas ele insistiu em ficar com a mesma. Segundo a polícia, Kurt guardou a arma em sua casa, pouco antes de viajar para o Centro de Recuperação Exodus, em Marina del Rey, na Califórnia.

Kurt Cobain então foi internado na clínica de reabilitação. Todos os amigos ficaram felizes, todos acharam que, dessa vez, ele iria conseguir se livrar do vício, ser um bom pai e ter uma vida normal. Mas, como todos vocês devem saber, as coisas não aconteceram como o planejado. No dia 1 de abril de 1994, Courtney recebeu um telefonema estranho. Cobain disse coisas estranhas à ela, como "lembre-se, não importa o que aconteça, eu te amo".

Na noite dessa ligação, havia apenas dois dias que Kurt estava internado. Porém, os funcionários da clínica disseram que ele tinha saído para fumar um cigarro no pátio do local, e simplesmente desapareceu. Courtney cancelou todos os cartões de crédito do marido e contratou investigadores para encontrá-lo, mas nada adiantou.

Último dia de Kurt Cobain

Em algum momento, do dia 5 de abril daquele ano, Cobain se trancou na estufa acima de sua garagem e fez o uso desregrado de drogas. Depois, Kurt escreveu uma carta de despedida e colocou sua carteira no chão, para que pudesse ser identificado. Depois, ele usou mais drogas, provavelmente heroína e BUM! Kurt Cobain usou sua espingarda calibre 20, para dar um tiro em sua própria cabeça.

O corpo foi encontrado, três dias depois do suicídio, por um eletricista que faria reparos na casa do cantor. Essa morte fez o mundo perder o rei do grunge, o ídolo dos rockeiros rebeldes. A carta, deixada por Kurt, narrava toda sua solidão e problemas possivelmente causados pelo excesso de drogas e álcool. A carta veio à tona, logo após sua morte, e chegou a ser lida em um programa de TV pela viúva do músico. Em um dos trechos, Kurt declarou o seguinte: "e desde os sete anos, passei a ter ódio de todos os humanos em geral. Apenas porque parece tão fácil para as pessoas que têm empatia se darem bem. Apenas porque eu amo e lamento demais pelas pessoas, eu acho".

Para finalizar, Kurt desejou "paz, amor e empatia".

Confira isso com a gente em um vídeo

E aí, o que você achou da história de Kurt Cobain? Comenta pra gente aí embaixo, pois seu feedback é de extrema importância para o nosso crescimento.

Próxima Matéria
Diogo Quiareli
Geminiano, 25 anos, goiano.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+