• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Professor ganha Prêmio Nobel e destina valor recebido para ajudar seus alunos

POR Diogo Quiareli    EM Compartilhando coisa boa      20/03/19 às 17h35

Há atitudes humanitárias capazes de nos emocionar sem fazer muito esforço. Esse é o caso de George P. Smith, professor emérito de biologia. Ele é conhecido no campus onde atua por ser um gênio. Smith ganhou um Nobel e, em vez de manter o dinheiro recebido na premiação, decidiu criar um programa na faculdade. Ele fundou o "Fonde Nobel Missouri". Esse daria bolsas para estudantes da Faculdade de Artes e Ciências.

"Isso pode surpreender algumas pessoas, mas meu primeiro grau foi na verdade um bacharelado em artes, não um bacharel em ciências", disse Smith durante um evento da comunidade. "Minha educação em artes liberais foi um trampolim para uma vida inteira de aprendizado e compromisso cultural. Minha esposa e eu esperamos que o apoio para as artes liberais irá enriquecer a vida de futuros alunos de Mizzou, independentemente das carreiras que escolherem", completou.

Além disso, o Sistema da Universidade de Missouri, junto com o MU, contribuiu com mais US$ 300.000 para o novo fundo. O presente foi elevado para mais de meio milhão de dólares. Alexander N. Cartwright se pronunciou junto, anunciando que qualquer contribuição que outros possam fazer para o fundo, será igualada em dólar por dólar pela universidade. Isso será feito através do seu Programa de Bolsas Promissórias e Oportunidades.

"Muitas vezes ficamos impressionados com a atitude incrivelmente humilde de George, e hoje ficamos ainda mais surpresos com seu espírito de generosidade", disse Cartwright em um comunicado. "Coisas como estas possibilitam que mais estudantes frequentem a nossa universidade e tenham a experiência de serem ensinados por outros professores de classe mundial". Após Smith ganhar o que é considerado o prêmio mais prestigiado do mundo, a universidade onde leciona o homenageou com seu próprio espaço em um rack de bicicleta no campus.

Esse era de fato o desejo de Smith. Ele mora a menos de um quilômetro de distância e anda de bicicleta todos os dias para chegar ao trabalho. O professor obteve seu doutorado em bacteriologia e imunologia na Universidade de Harvard, em 1971. Posteriormente, conseguiu uma bolsa de pós-doutorado com o antigo vencedor do Prêmio Nobel, o falecido Oliver Smithies, da Universidade de Wisconsin. Desde então, o professor foi removido da instituição, mas mantém seu laboratório na universidade e ensina uma classe de honras sobre as questões mundiais.

"George Smith é uma estrela da Faculdade de Artes e Ciências há mais de 40 anos", disse Pat Okker, reitor da universidade. "Ele é um pesquisador fabuloso, um professor excepcional e um ser humano incrível. Este presente continua a demonstrar o quão comprometidos George e Margie são para o sucesso dos alunos" completou Okker. A história desse professor exemplo está rodando o mundo e surpreendendo diversas pessoas que se emocionam com a humanidade que pode existir nas pessoas.

E aí, o que você achou dessa atitude? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o crescimento do nosso site. Aproveite para fazer uma viagem em um mundo de curiosidades aqui, na Fatos Desconhecidos. Basta utilizar a barra de pesquisas na parte superior do site.

Próxima Matéria
Via   Nation  
Diogo Quiareli
Geminiano, 25 anos, goiano.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+