icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


Quem está confinado há muito tempo pode ser afetado pela síndrome da cabana

POR Bruno Dias EM Curiosidades 20/07/20 às 16h18

capa do post Quem está confinado há muito tempo pode ser afetado pela síndrome da cabana

Desde o surgimento do novo coronavírus, pudemos acompanhar o rápido aumento das contaminações. Todos nós sabemos que vivemos uma pandemia da doença que surgiu em Wuhan, na China. E  por conta da sua alta mortalidade, autoridades do mundo inteiro estão em estado de alerta. Países inteiros adotaram o distanciamento social, assim como foi indicado pela Organização Mundial da Saúde. Esse é, até o momento, o melhor método para frear o avanço da doença.

Por isso, uma grande porcentagem de pessoas, ao redor do mundo, está vivendo isolada para que a disseminação do coronavírus possa ser reduzida. No entanto, essa tarefa é mais difícil do que parece, já que estamos tão acostumados com a interação social.

Essa medida é basicamente para evitar aglomerações de pessoas a fim fazer com que a COVID-19 não se espalhe ainda mais. Depois de meses em casa por conta do coronavírus alguns países começam a flexibilizar as regras do isolamento social. E as atividades começam a voltar gradualmente.

Sair de casa

O que era para ser tomado como um alívio e até mesmo uma notícia boa não aconteceu, pelo menos, não para Roberto Elias, de 46 anos. "Só de pensar em sair de casa, meu coração dispara. É como se eu tivesse me desacostumado a ver gente, movimento, e meu apartamento parece o lugar mais seguro do mundo, onde nada de mal vai me acontecer, inclusive pegar Covid", relatou o engenheiro.

Isso que Roberto está sentindo não é uma coisa fora do comum para as pessoas que passaram muito tempo em isolamento social. "A síndrome da cabana é associada à alta irritabilidade, stress, agressividade, inquietação claustrofóbica, angústia e desconfiança quando uma pessoa fica confinada por um longo período de tempo", explica o psicólogo, Fredy Figner.

De acordo com ele, essa síndrome não é o medo de sair de casa. Mas sim, ter uma reação negativa por ter ficado muito tempo nela. Uma comparação bastante exagerada é o mesmo que acontece com o personagem de Jack Nicholson isolado no hotel no filme "O Iluminado".

Síndrome

A chamada "cabin fever", em inglês, foi criada em 1900 para conseguir explicar o que estava acontecendo com caçadores, trabalhadores e exploradores no norte dos EUA. Depois que eles passavam o inverno todo sozinhos dentro de suas cabanas, eles tinham uma certa repulsa de voltar para a civilização.

A mesma coisa acontecia com aqueles que trabalhavam sozinhos nos faróis ou nos tripulantes que ficavam confinado em submarinos. O psicólogo faz questão de ressaltar que a síndrome da cabana não é um transtorno mental. Mas sim, um fenômeno psicológico histórico.

"Não é novo, mas ninguém lembra porque uma pandemia como a do novo coronavírus aconteceu há 100 anos", disse a psicóloga e neurocientista Ana Claudia Zani.

Mas diferente do inverno ou de uma missão de submarino, a pandemia do novo coronavírus não tem uma previsão de acabar. Atualmente, a internet diminui um pouco a agressividade que as pessoas tinham antigamente, por exemplo na época da gripe espanhola, por falta de informação. Mas o que se acentua é a ansiedade pela espera de uma vacina ou uma cura.

Além disso, pelo risco de ser contaminado fora de casa ser maior, a ideia de que a casa seja um porto seguro é ainda mais reforçada. As pessoas que sofrem com síndrome também podem ter problemas de atenção, dispersão ou então o completo oposto, o hiperfoco no trabalho.

Conforme explica Ana Claudia, os sintomas da síndrome da cabana são reações espontâneas de sobrevivência. "É impossível não ter sentimentos negativos, mas somos, sim, capazes de controlar a sua intensidade", afirma.

E para tentar amenizar essa síndrome é recomendado que se faça alguma atividade física, medite, caminhe e também sempre questione os pensamentos negativos.


Próxima Matéria
Via   MSN  
Imagens Metropoles Uol
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest