• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Rodínia, o continente de 1,1 bilhão de anos

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      22/08/19 às 18h00

Nosso planeta é bastante misterioso. E uma das formas de se provar é que os cientistas estão sempre fazendo novas descobertas a respeito dele e como ele foi em uma época antiga. Entre 200 a 300 milhões de anos atrás, a composição de nosso planeta era muito diferente do que conhecemos hoje em dia. Existia apenas uma gigante massa continental, denominada como Pangeia. Certamente você já ouviu falar a respeito. É conteúdo carimbado desde que entramos no ensino fundamental. As Américas, África, Europa, Ásia, Antártida e Oceania eram todos um só.

O que muitos podem não saber é que antes mesmo da Pangeia existiu um outro supercontinente. Ele era chamado de Rodínia e existiu aproximadamente cerca de 700 milhões de anos atrás. A época de existência dele causa algumas discussões porque mesmo com os recursos tecnológicos ainda não se consegue definir com exatidão.

Sabe-se que Rodínia existiu há milhões de anos atrás entre dois períodos importantes da história: o mesoproterozóico e o neoproterozóico. Por ter sido entre esses períodos ela pode ter acontecido entre um bilhão e 540 milhões de anos atrás. Na época, esse supercontinente era cercado por um mega oceano que era chamado de Mirovoi.

Por essa referência de tempo dá para ver que nada naquele tempo era igual ao que temos hoje. Em todos os sentidos como nas condições climáticas, no tipo de geologia ou vegetação e até mesmo nas condições necessárias para existência de vida.

Importância

Rodínia é importante por causa da sua função no surgimento posterior de outros continente. Esses que foram a base para as formações continentais que nós conhecemos atualmente. Ele era um bloco único que cobria grande parte da Terra. E era cercado por um único oceano que se estendia por todo planeta. Ela ficou inalterada por milhões de anos.

No período em que Rodínia existia, a Terra passou por várias mudanças climáticas drásticas. Nosso planeta teria enfrentado um período longo e severo de calor onde ele teria se tornado um deserto. E depois se transformado em uma grande bola de gelo. Nessa transformação, até mesmo os oceanos teriam sido congelados e assim teria permanecido por um grande tempo.

E foram essas condições que foram necessárias para a sobrevida no planeta. E isso teria ocasionado a extinção de muitas espécies e a efetivação daqueles animais que melhores se adaptaram as circunstâncias desse período.

O formato de Rodínia teria sido resultado de um longo processo de ajuntamento de placas tectônicas que quando se colidiram formaram imensas formações rochosas e unificaram o continente.

De acordo com estudos geológicos, a divisão de Rodínia aconteceu por volta de 700 milhões de anos atrás quando as massas do supercontinente começaram a lentamente se separar para dar origem a novos continentes.

Uma das hipóteses da separação de Rodínia é a que o supercontinente teria se dividio a partir do aquecimento do planeta. Que com essa temperatura mais alta teria derretido o gelo que estava cobrindo a terra e os oceanos. E assim eles teriam criado condições para expandir as massas que formavam o continente. E assim o continente começou a se dividir em outros.

Evidências

Nas últimas décadas os cientistas estão encontrando evidências da existência de Rodínia em vestígios geológicos em formações rochosas de diferentes lugares. Esses que se estendem por áreas que vão dos continentes americanos até a África, passando pela Europa e Ásia.

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+