icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


Secretário do governo que esteve com Trump e Bolsonaro está com coronavírus

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      12/03/20 às 14h17
capa do post Secretário do governo que esteve com Trump e Bolsonaro está com coronavírus

Todos estão surpresos e assustados com as notícias a respeito da pandemia de coronavírus. O que está assustando as pessoas é principalmente a nova variação do coronavírus, o 2019-nCoV. Ele surgiu em Wuhan, na China, e  por causa de sua intensidade e capacidade de matar as pessoas, o mundo todo ficou em um estado de alerta.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica doenças, de acordo com a gravidade da enfermidade, na velocidade em que ela é disseminada e na capacidade de combatê-la. Com o avanço do vírus, a classificação, que antes era de risco global moderado, sofreu uma nova mudança. A OMS declarou que o coronavírus é uma pandemia.

Embora exista um grupo de risco para o coronavírus, assim como para qualquer doença, ele não escolhe as pessoas que infecta. Tanto que pessoas comuns, como autoridades, estão sujeitas, da mesma forma, a contrair o vírus.

Exemplo disso, é que o presidente da República, Jair Bolsonaro, e vários integrantes da comitiva, que foi com ele para Miami, estão sendo monitorados. Isso porque o secretário especial de Comunicação, Fábio Wajngarten, foi diagnosticado com o vírus. Mas ainda se aguarda uma contraprova.

Do final da tarde para o começo de noite de quarta-feira, todo esse grupo recebeu ligações do gabinete da Presidência dizendo que se eles sentissem qualquer um dos sintomas que comunicassem imediatamente e que fossem até o hospital militar em Brasília para fazer os exames.

Grupo

O grupo de risco do coronavírus são pessoas mais velhas. E além da idade, homens e fumantes também são o grupo mais atingido. O presidente Bolsonaro faz 65 anos, no dia 21.

Nessa quinta-feira, o presidente cancelou a viagem que iria fazer para o Rio Grande do Norte. De acordo com o dito pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, o cancelamento da viagem foi por causa de "razões de segurança sanitária".

"A decretação ontem da Organização Mundial da Saúde de uma pandemia mundial nos obriga a ter segurança com a saúde do presidente e as pessoas ao seu entorno", disse Marinho, através da sua conta do Twitter.

Segundo o governo federal, o cancelamento da agenda do preside não tem a ver diretamente com a suspeita do chefe da Secom, Fábio Wajgarten, estar com coronavírus.

Na comitiva que foi aos Estados Unidos estavam os ministros Ernesto Araújo, de Relações Exteriores; Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional; Fernando Azevedo e Silva, de Defesa; e Bento Albuquerque, de Minas e Energia.

Além desses ministros estavam também, os senadores Nelsinho Trad e Jorginho Mello. Também estavam os deputados Eduardo Bolsonaro e Daniel Freitas. O assessor especial Filipe Martins, o presidente da Embratur, Gilson Machado, o secretário especial de Pesca, Jorge Seif Júnior e outros.

Contato

Segundo pessoas que conversaram com Fábio Wajgarten, elas afirmam que ele tem os sintomas de gripe e que espera os resultados do exame nessa quinta-feira. Na viagem, ele e Bolsonaro tomavam café da manhã em uma sala reservada. E toda a comissão se deslocava em vans. Somente o presidente ia separado para os lugares.

Na Flórida, o presidente participou de um jantar com o presidente americano, Donald Trump. E Wajgarten acompanhou Bolsonaro.

Em seu Twitter, o secretário de Comunicação criticou a imprensa, mas não negou que tenha feito os testes. "Em que pese a banda podre da imprensa já ter falado absurdos sobre minha religião, família e minha imprensa, agora falam da minha saúde. Mas estou bem, não precisarei de abraços de Dráuzio Varella", escreveu ele.

A menção ao médico foi feita por causa da reportagem do Fantástico, da Rede Globo. Nela ele abraçou uma transexual que foi condenada pela morte e estupro de uma criança.

Quando questionados oficialmente, a Secom disse que o Palácio do Planalto não comentaria sobre esse assunto.

Confirmação

Nessa quinta-feira o governo confirmou que o secretário de Comunicação Social da Presidência, Fábio Wanjgarten, tem coronavírus. E ele está em quarentena em sua casa.

"O serviço médico da Presidência da República adotou e está adotando todas as medidas preventivas necessárias para preservar a saúde do Presidente da República e de toda comitiva presidencial que o acompanhou em recente viagem oficial aos Estados Unidos, bem como dos servidores do Palácio do Planalto", afirmou o governo.


Próxima Matéria
Via   Jornal nh     G1  
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest