• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Soldado é encontrado na selva do Vietnã depois de 40 anos

POR Arthur Porto    EM Curiosidades      09/12/19 às 15h43

No final dos anos 1960 e início dos anos 1970, mais especificamente durante a Guerra do Vietnã, milhares de soldados lutaram pelos Estados Unidos e muitos tornaram-se prisioneiros de guerra. Entre os que foram capturados, alguns, frequentemente, morriam de fome ou por meio de tortura.

Em 1975, quando a guerra terminou, os prisioneiros de guerra, que sobreviveram ao cativeiro, foram libertados. Há aqueles cujos corpos nunca foram encontrados. Nesse caso, estima-se que estes soldados estejam desaparecidos. Dentre eles, focaremos em apenas um nome: o do sargento-chefe das Forças Especiais Boinas Verdes: Sargento John Hartley Robertson.

E por quê? Porque ele foi encontrado em 2008, quarenta anos depois da guerra ter terminado.

A revelação do paradeiro do Boina Verde

Em 2008, Tom Faunce, um missionário cristão e veterano do Vietnã, foi ao Camboja, para ajudar os moradores locais, com alguns serviços. Por ter sido muito afetado pela guerra, Faunce resolveu se dedicar a religião e a ajudar os outros. Por isso, estava ali, no Camboja.

A notícia, sobre o Sgt. John Hartley Robertson veio à tona ali mesmo, em meio ao trabalho que realizava com os cambojanos. Um dos moradores locais havia dito para Faunce que um veterano americano sobreviveu a um acidente de helicóptero, durante a guerra, em 1968, e ainda estaria vivo, vivendo em Laos.

Faunce, nesse ínterim, descobriu também que o americano era um Boina Verde, altamente condecorado. Ainda de acordo com os locais, o veterano, mesmo tendo sobrevivido ao acidente, havia sido enviado a uma prisão do Exército do Vietnã do Norte. Devido aos ferimentos, foi tratado por uma enfermeira, pela qual se apaixonou.

Uma vez que Boina Verde havia escapado da prisão, roubou a identidade do marido da enfermeira e escapou para o Vietnã do Sul. Robertson, então, mudou seu nome para Dang Tan Ngoc. Faunce, obviamente, ficou perplexo, com tudo o que ouviu. Entretanto, achou melhor resguardar-se, afinal, era preciso confirmar todo o burburinho.

"Ele é vietnamita"

Faunce decidiu conhecer Robertson pessoalmente para verificar sua história. Os locais, então, forneceram o endereço da casa do Boina Verde. Robertson recebeu Faunce em sua casa. O Boina Verde, ao que parece, sabia o motivo da visita.

Robertson, em todo o momento que Faunce esteve ali, foi agradável. O comportamento por parte de sua esposa não. Perplexa com a presença de Fauce, começou a gritar: "Ele não é americano. Ele é vietnamita!".

A esposa, na ocasião, revelou que estava preocupada. Afinal, a mulher do Boina Verde não queria que os americanos os condenassem pela troca de identidade e nem pelo desaparecimento de seu veterano.

Quando a poeira se acalmou, Robertson contou detalhadamente sua história. Segundo conta Faunce, "Robertson se juntou aos Boinas Verdes logo após terminar o ensino médio. Ele treinou como paraquedista e, em meados da década de 1960, foi recrutado pela CIA em uma posição secreta. Em seguida, ele ajudou a bombardear o Vietnã do Norte. Robertson e outros trabalharam com a agência no Laos e no Camboja, executando missões sensíveis de reconhecimento de busca e destruição".

A vida após a guerra

Após sobreviver ao acidente, Robertson foi para um hospital vietcongue. Foi ali, que conheceu sua esposa. Entretanto, o capítulo posterior ao fim da guerra só começou a ser escrito depois, quando trocou de identidade. O Boina Verde, em todo o tempo que esteve ali, trabalhou como agricultor vietnamita na zona rural do Laos.

Ainda na presença de Faunce, Robertson perguntou sobre sua verdadeira família. Faunce não sabia como responder tal pergunta. Para ajudá-lo, Faunce pediu-lhe para ir à embaixada dos Estados Unidos e para, assim, confirmar sua identidade. Uma vez que Robertson provasse ser quem ele dizia, ele poderia se reconectar aos seus entes queridos.

Após anos no Vietnã, Robertson falava apenas vietnamita e não lembrava os nomes de seus filhos ou nem da data do próprio aniversário. Mesmo indo até a embaixada e procurando as autoridades, não há arquivos sobre Robertson.

O Boina Verde, depois de superar algumas barreira, como a distância entre os países e as inúmeras burocracias, finalmente, conseguiu marcar um encontro com seus familiares americanos.

O encontro

A irmã de Robertson, Jean, seu marido, e sua filha, Gail, saíram de Tuscaloosa, local onde vivem, e foram para o Canadá. Robertson se reuniu com sua família em 17 de dezembro de 2012. Ele tinha tantos problemas com o inglês, que precisou de um tradutor, para ajudar na comunicação.

O encontro, no final, acabou sendo diferente do que se imaginava. Para os familiares, Robertson parecia ser uma pessoa completamente diferente. Para descobrir a verdade, a família decidiu fazer um teste de DNA.

De acordo com o The Independent, o homem, que alegou ser Robertson, era, na verdade, Dang Tan Ngoc. Ou seja, ele sempre foi realmente o marido da enfermeira. Nunca houve troca de identidade. Ainda segundo o The Independent, Dang Tan Ngoc é "um cidadão vietnamita, de 76 anos de idade de origem francesa, que tem como hábito, fingir ser veterano do exército dos EUA".

Próxima Matéria
Via   trendscatchers  
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+