• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Tsutomu Miyazaki, o assassino otaku

POR Cristyele Oliveira    EM Curiosidades      26/08/19 às 18h20

Já vimos vários casos de assassinos em série perversos. Inclusive recentemente falamos aqui sobre Jeffrey Dahmer, um dos piores serial killers que já existiu. Mas em todo lugar existe um psicopata capaz de fazer coisas realmente inimagináveis. Esse foi o caso de Tsutomu Miyazaki que chocou o Japão. O serial killer aterrorizou a capital Tóquio sequestrando e matando crianças inocentes. E se isso já não fosse o bastante, ele ainda cozinhava partes dos corpos das vítimas e bebia o seu sangue. E atormentava a suas famílias enviando "presentes" perturbadores.

Miyazaki tinha na sua casa uma coleção com 5.700 filmes de terror e violência. E por isso acabou ficando conhecido como o "assassino otaku". No Japão, esse termo é usado para descrever adolescentes antissociais, apaixonados por jogos de videogame e mangás, muitos deles que passam a maior parte do tempo recluso em seus quartos. A prisão a Miyazaki levou os japoneses a debaterem profundamente o impacto que filmes violentos e programas de televisão podem ter sobre os jovens. Inclusive, durante o seu julgamento, a sua defesa usou disso para tentar inocentá-lo dos crimes que cometeu, alegando alienação mental do jovem. Ele foi condenado à pena de morte pelo assassinato de 4 meninas. O assassino otaku se tornou um dos piores serial killers que o Japão já viu.

O assassino Otaku

Tsutomu Miyazaki, tinha 25 anos quando cometeu os assassinatos, no fim da década de 1980. Na verdade, ele não foi preso por causa desses assassinatos, esses crimes só apareceram depois por meio de confissão.

Em junho de 1989, Miyazaki foi preso em um parque por ter atentado contra o pudor de uma menina. No meio da interrogação ele contou que havia sequestrado e assassinado outras quatro meninas, com idades entre 4 e 7 anos. Os crimes aconteceram em Tóquio e no distrito vizinho de Saitama, entre 1988 e 1989.

O mais chocante sobre os seus assassinatos, não é somente as vítimas serem crianças. Além de sequestrar e matar as suas vítimas inocentes, o assassino otaku cozinhou as mãos e os pés das meninas, e bebeu o sangue delas. E ainda dormiu ao lado dos corpos para satisfazer suas fantasias sexuais insanas.

Ele ainda chegou a enviar cartas para a mídia local, fingindo ser uma mulher e que essa mulher é que teria cometido tais atrocidades. Se a tortura de não saber o que tinha acontecido com suas crianças já não fosse suficientemente difícil, as famílias das vítimas ainda receberam do assassino pedaços dos corpos das vítimas.

O caso do assassino otaku chocou todo o país, e não era para menos. E Miyazaki foi condenado à pena de morte. Mesmo em meio a pedidos de clemência por parte dos seus advogados. Esses que continuaram alegando a "alienação mental" do seu cliente. Segundo eles, Miyazaki cometeu esses crimes porque tinha o espírito perturbado por excesso de filmes violentos.

Condenação

Durante o seu julgamento, Miyazaki disse que tudo o que ele desejava era ser famoso, e que finalmente tinha conseguido. Ele ainda comparou o tribunal a "uma sessão de gala no cinema". "Sentia que era um sonho, fiz tudo isto em sonhos", disse ele.

O assassino foi enforcado aos 45 anos ao lado de outros dois condenados. "Com esta execução caiu o pano sobre uma história", disse Shigeru Hashizume, o policial que comandou a investigação do caso.

Ao lado dos Estados Unidos, o Japão é um dos únicos países de primeiro mundo a aplicar a pena de morte. Atualmente no país existem centenas de pessoas condenadas esperando no corredor da morte.

E você, já tinha ouvido falar sobre o assassino otaku? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Próxima Matéria
Via   G1     Ranker  
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+