icone menu


Um supervulcão europeu está acordando e isso pode gerar um verdadeiro desastre

POR Arthur Porto    EM Curiosidades      08/11/19 às 12h18
capa do post Um supervulcão europeu está acordando e isso pode gerar um verdadeiro desastre

Há um supervulcão na Itália que, se explodisse, especialistas acreditam que boa parte do continente europeu estaria em risco. Conhecido como Campi Flegrei, ou Campos Flégreos, o supervulcão está localizado no noroeste de Nápoles.

Em suma, nos últimos anos, o vulcão vem mostrando sinais de atividade e, além disso, a pressão interna está aumentando. Basicamente, a última vez que Campi Flegrei entrou em erupção foi em 1538. Mesmo apesar do longo período de inatividade, o gigante, recentemente, começou a dar sinais de que está acordando.

A região

Conhecida como Campi Flegrei, as fissuras com lama borbulhante e erupções sulfurosas da região a oeste de Nápoles, hoje, são uma importante atração turística. Em contrapartida, a zona de intensa atividade sísmica, que os antigos pensavam ser a entrada do inferno, representa, agora, um perigo de proporções globais. Afinal, milhões de pessoas vivem literalmente em cima de uma possível futura erupção.

Em síntese, a caldeira do vulcão formou-se há 39.000 anos e consiste em 24 crateras. Caso ocorra uma erupção, o evento seria devastador para a Europa. A região na qual o vulcão se encontra é semelhante à caldeira vulcânica existente em Yellowstone, nos Estados Unidos. São estruturas bem semelhantes porque ambas as câmaras de magma são mil vezes maiores que a de um vulcão convencional.

Além disso, a superfície do supervulcão se nivela com a terra, em várias crateras. Ou seja, carece de um cone central mensurável, como o Monte Vesúvio, também localizado próximo à área. Em caso de erupção, um novo cone se formaria na área, muito semelhante ao Vesúvio.

De acordo com o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália, liderado por Giovanni Chiodini, a pressão do vulcão aproxima a pontos críticos. Ou seja, durante a última década, o Campi Flegrei mostrou sinais de atividade, com eventos que indicam que os gases estão atingindo a superfície cada vez mais rápido.

Parâmetro

Em 2012, o nível de alerta mudou de verde para amarelo. Nesse ínterim, isso significa que o vulcão vem sendo monitorado mais de perto desde então. No entanto, os cientistas consideram precipitado evacuar a população ou antecipar uma erupção.

Caso a erupção ocorresse hoje, grande parte da Itália desapareceria em meio às nuvens de cinzas. A quantidade de nuvens seria tão exorbitante que bloquearia a luz do sol, o que causaria uma diminuição da temperatura da Terra. Além disso, a Itália não seria o único país afetado. Estima-se que parte do Reino Unido também sofresse com isso.

Embora, vale lembrar, que exista também a possibilidade de que nada aconteça com o supervulcão. Como sua atividade recente tem sido incomum, os especialistas seguem monitorando a presença de qualquer evento.

Em contrapartida, é importante ressaltar que a preocupação dos cientistas é real. Desde 1969, parte da caldeira aumentou 3 metros. Desde 2001, o Observatório Vesuviano, que faz parte do Instituto Nacional de Geologia e Vulcanologia, é o responsável pelo monitoramento dos três vulcões que ameaçam a região da Campânia: Campi Flegrei, Vesúvio e Ischia.

Ao contrário de Campi Flegrei e Vesúvio, Ischia é uma ilha vulcânica que, até o momento, não representa perigo de erupção.


Ei Fatos, não deixe de conferir:

A câmera das meninas desaparecidas revela fotos arrepiantes e sem explicação

Próxima Matéria
Via   Vix  
avatar Arthur Porto
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.

Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+