• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Veja a reação dessa refugiada ao ficar de cara com o seu estuprador anos depois do ocorrido

POR Erik Ely    EM Curiosidades      05/12/19 às 12h31

Quando tinha apenas 14 anos de idade, a jovem Ashwaq Haji Hamid foi sequestrada por membros do Estado Islâmico. Além de ter sua cidade natal tomada pelo grupo, a jovem também se tornou uma das milhares de mulheres Yazidi que foram forçadas a se tornar escravas sexuais. No entanto, ao tentar reconstruir sua vida em outro país, a refugiada ficou de cara com o seu estuprador jihadista, anos depois do ocorrido.

Da mesma forma, a comunidade Yazidi tem sido vítima de perseguição, ao longo de sua história. Enquanto não seguem nenhum livro sagrado, os yazidis são monoteístas e pré-cristãos. E dos 1,5 milhão de yazidis ao redor do mundo, cerca de 550.000 estavam vivendo nas proximidades do norte do Iraque, até antes de 2014. Sem dúvida, a história de Hamid não é a única que podemos encontrar.

O caso de perseguição

Em 2015, Ashwaq Haji Hamid chegou com sua família ao sudoeste alemão. Isso, depois que ela entrou em um programa, destinado a ajudar yazidis vítimas de violência. Contudo, vale relembrar que, em 2014, o Estado Islâmico cometeu o que foi considerado pela ONU, um verdadeiro genocídio ao Iraque. Além disso, o grupo terrorista sequestrou inúmeras mulheres e crianças. Aquelas que, posteriormente, seriam vendidas como escravas, entre elas, Hamid.

No entanto, enquanto deixava seu passado para trás, a jovem se deparou com o torturador, que a manteve como escrava por dez meses. "Eu fugi do Iraque para não ver aquele rosto feio e esquecer tudo o que ele me lembra, mas fiquei chocada ao vê-lo na Alemanha", disse a jovem. Esse fato aconteceu, pela primeira vez, em 2016. E depois do ocorrido, ela sabia que era ele. "Ele estava me perseguindo. Era a mesma pessoa, mas na segunda vez, chegou perto de mim e me disse que sabia tudo sobre mim".

Depois de relatar o segundo incidente as autoridades, tudo que ela recebeu foi um cartão para emergências. Com isso, a jovem decidiu deixar o país. "Se eu não o tivesse visto, teria ficado na Alemanha. Eu queria completar meus estudos e obter um diploma, que me daria uma vida decente". No entanto, investigação continuou em progresso.

O encontro em rede nacional

E conforme a investigação prosseguia, as autoridades conseguiram encontrar Abu Humam. E com torturador preso, Hamid recebeu a proposta de ficar de cara com o seu estuprador, anos depois do ocorrido. Só que com um detalhe, com tudo isso sendo transmitido pelo canal de TV iraquiano, al-Iraqiy.

No confronto, a refugiada ficou de cara com o seu estuprador. E emocionada, depois de dizer algumas palavras, acabou chorando e desmaiando no estúdio de TV.

Confira o vídeo abaixo.

E aqui, separamos uma tradução de suas palavras.

"Levante sua cabeça! Por que você fez isso comigo? Por quê? Porque eu sou Yazidi? Eu tinha apenas 14 anos quando você me estuprou. Levante sua cabeça! Você tem uma irmã? Você tem sentimentos? Você tem honra? Eu tinha 14 anos, a idade da sua filha ou filho, a idade da sua irmã. Você arruinou minha vida! Você tirou tudo de mim, todos os meus sonhos. Eu já estive sob o ISIS, em suas mãos. Mas agora você saberá qual é o castigo, a tortura, a solidão. Se você tivesse uma pequena quantidade de sentimentos, não teria me estuprado aos 14 anos. Eu tinha a mesma idade do seu filho, sua filha!".

Segundo as autoridades, o ataque que levou Hamid conta com mais de 6.400 Yazidis sequestrados. Enquanto isso, apenas a metade deles conseguiu fugir ou ser resgatada. Além disso, ao todo, outros 100.000 fugiram para o exterior em busca de uma vida melhor.

Próxima Matéria
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+